Vestindo a camisa

Uniforme identifica equipe de funcionários e amplia segurança. Escolha deve considerar acabamento e conforto

Uniformizar os funcionários do condomínio vai muito além da questão estética. O uniforme facilita a identificação da equipe e é fundamental para aumentar a segurança, complementando outros pontos importantes como o controle de entrada e saída do prédio, o uso de câmeras, alarmes e, claro, treinamento e capacitação dos empregados.

Especialmente em condomínios com muitos funcionários, quando não há uniforme, existe uma dificuldade maior de se saber quem realmente trabalha no local e em qual tipo de serviço, facilitando a entrada disfarçada de impostores e quadrilhas.

“O uso de uniformes é uma forma de controlar e minimizar os roubos em condomínios em conjunto com os treinamentos constantes da equipe”, afirma Mário Edson, diretor do Grupo SSWAT, empresa especializada em segurança.

Além de sua utilização por funcionários fixos, também é aconselhável solicitar tal uso das equipes que realizam serviços temporários no condomínio.

E quem paga? – O uso de uniformes não é obrigatório, a não ser que sejam itens de segurança, como luvas e botas no caso de empregados que realizam determinados serviços e correm riscos relacionados à insalubridade.  Porém, se o condomínio estipular o uso como norma interna, o fornecimento deve ser feito dentro do que determina o acordo com a categoria profissional dos funcionários. A cláusula 54 da convenção coletiva dos trabalhadores de condomínios de São Paulo diz, por exemplo, que o condomínio deve fornecer os uniformes gratuitamente aos funcionários.

Neste caso, após a administração escolher a empresa que confeccionará os uniformes, deve ser feito um cadastro de todos os trabalhadores com suas funções e medidas. A entrega é realizada individualmente e na quantidade solicitada.

Caso o funcionário tenha necessidade de adquirir mais peças, não pode fazer o pedido direto para a empresa fornecedora. O condomínio entra em contato, informa o nome do funcionário e o que deseja.

“Se por algum motivo o funcionário ligar diretamente para a empresa, por questões de segurança o condomínio é acionado imediatamente para que a informação seja checada”, afirma Wellington Pereira, gerente da Relux Uniformes.

Como escolher – Escolher o uniforme correto requer especial atenção, pois é necessário que as peças tenham bom acabamento, sejam resistentes (afinal serão usadas todos os dias) e confortáveis.

Normalmente há alguns padrões utilizados de acordo com a área de trabalho. “Quem trabalha na segurança costuma vestir calça e camisa; já o pessoal da manutenção e limpeza veste calça e jaleco”, explica Pereira.

Para aumentar a segurança e diminuir os riscos de bandidos copiarem os uniformes, as peças podem receber bordado personalizado com o logotipo condominial a critério da administração.

“O bordado acaba sendo uma barreira maior para o bandido, já que, além de copiar o uniforme, ele irá precisar copiar o bordado, e o funcionário treinado consegue identificar que há algo errado”, completa Pereira.

“Além dos uniformes, é importante garantir intenso treinamento para que os procedimentos sejam cumpridos de modo funcional”, complementa Edson, do Grupo SSWAT. É fundamental que a empresa responsável pela segurança condominial ministre cursos periódicos para que a equipe consiga identificar possíveis situações de risco.

O uniforme adequado

  •  As peças devem ser resistentes e confortáveis, com opções para dias quentes e frios
  • Para diminuir os riscos das peças serem copiadas por bandidos, vale a pena investir em bordados personalizados
  • Deve-se considerar o tipo de atividade que será desenvolvida pelo funcionário na escolha das peças. Algumas devem conter bolsos ou cintos, para que os funcionários possam guardar ferramentas de trabalho
  • A quantidade também deve ser considerada. É preciso lembrar que o uniforme será usado todos os dias e, em algumas atividades, há um desgaste maior, como no caso de quem trabalha com limpeza
  • Sapatos e botas também fazem parte dos uniformes e a escolha deve ser acertada individualmente. O condomínio pode, por exemplo, estabelecer algumas regras relacionadas ao modelo e à cor, e o funcionário compra o sapato que preferir dentro destas regras e é reembolsado pelo condomínio

Fonte: iCondominial