Uso de drogas: o que fazer

Saiba qual a melhor maneira de agir ao descobrir que há entre os moradores pessoas que fazem uso de tais substâncias

Conhecer bem todos os moradores de um condomínio é uma missão quase impossível. Por isso, muitos não sabem que o vizinho de porta pode ser usuário de drogas e, quando descobrem, podem ficar receosos quanto à maneira de lidar com essa pessoa ou com medo de o condomínio ficar exposto de alguma forma. Qual a maneira mais correta de se agir neste caso?

De acordo com o advogado Daphnis Citti de Lauro, assim que é constatado que um morador faz uso de drogas, o mais adequado é pedir que administradora  envie uma notificação a fim de informar que não é permitido o uso de tais substâncias nas dependências condominiais, sob pena de aplicação de multa.

Além disso, é aconselhável que o síndico converse com a família e oriente o usuário sobre a existência do NAR-ANON (Narcóticos Anônimos).

“São grupos familiares que orientam as sobre procedimentos com o usuário. E outros grupos que orientam os adictos (dependentes), que muitas vezes desejam largar o vício, mas não conseguem sozinhos. Existem várias reuniões, em praticamente todas as cidades e bairros, e são muito eficientes, sendo indicadas como o melhor caminho para o problema das drogas”, avalia Lauro.

Prevenção – Alguns anos atrás era comum que garotos entre 14 e 15 anos utilizassem drogas nas dependências do prédio do analista de redes André Nicolai. Entretanto, os pais e a maioria dos vizinhos não tinham conhecimento do hábito. Segundo Nicolai, além de o síndico também não saber, nunca demonstrou interesse em expor um cartaz ou apresentar uma campanha de prevenção.

Apesar de a atitude mostrar que normalmente os condomínios não costumam realizar programa de prevenção, é importante que cada morador exponha o problema ao detectá-lo.

“O síndico também deve ficar atento e falar com os funcionários para que o avisem de imediato quando souberem de algo”, enfatiza o advogado Daphnis Citti de Lauro.

Para evitar o extremo

  • O morador que utiliza drogas nas áreas comuns é passível de multa, mas isso não soluciona o caso
  • Campanhas de prevenção são válidas: cartazes e orientação a todos os condôminos devem ser fixados em áreas comuns
  • Se houver algum caso no condomínio, o síndico deve se dispor a orientar a família e auxiliar quanto à busca por ajuda em grupos de auxílio familiar
  • Deve-se esclarecer que o vício é considerado doença e precisa ser tratado para não tomar um rumo irreversível

Fonte: iCondominial