Uma demão de renovação

Final de ano é sinônimo de festas e de receber os amigos e parentes em casa. Então é chegada a hora de deixá-la ainda mais bonita e a decoração não é completa nem harmoniosa sem uma pintura. Há vários tipos de tintas, texturas possíveis, resinas, qualidade de materiais e profissionais.

O arquiteto Giovane Alves explica que os recursos podem ser utilizados para dar nova vida ao ambiente. No entanto, é preciso tomar cuidado para não errar nas cores. Não é regra, mas em ambientes pequenos uma tinta escura pode provocar a sensação de ambiente pesado. Já sobre cores claras, o efeito pode ser de amplitude, mas depende do projeto que foi proposto. “Funciona como a cor amarela e a laranja em restaurantes, que são usadas para despertar a fome”, diz.pintura

O pintor Flávio Saturnino explica que o primeiro passo é procurar um profissional. Depois disso, juntos, pintor e morador, vão até uma loja para escolher materiais, cores, resinas e efeitos desejados. Só então o orçamento é fechado e o trabalho pode começar a sair do papel. Ele conta que os pedidos mais frequentes, principalmente no período que antecede as festas de fim de ano, são mudança de cor e acabamentos finos.

Sobre algumas texturas que costuma executar, destaque para o grafiato – rende um belo efeito de ranhura. “Usamos pedrinhas para fazer esse tipo de efeito”, diz. Tanto para a parte interna quanto para a parte externa a indicação de Saturnino é o uso de tinta acrílica. Mas ele cita também as que dão efeito acetinado, que são resistentes à limpeza com água. Já as paredes pintadas com tintas foscas precisam receber novamente tinta para eliminar a sujeira.

Fonte: Diário do Norte