Toque especial nas janelas e portões do condomínio

As janelas, portas e grades de um condomínio – seja das áreas comuns ou privativas – devem ter uma atenção especial do síndico. Elas podem estar enferrujadas, estragadas, quebradas ou com cupins. Mais que uma preocupação com a estética, cuidar destes itens é uma questão de segurança

A porta do salão de festas está empenada, com dificuldades de abrir? As janelas das unidades privativas já estão enferrujadas? Há pontos quebrados nas grades? Itens de serralheria só costumam ser lembrados pelos síndicos quando as janelas, grades e portões estão em estado de deterioração que comprometa a segurança ou quando portões ocasionam problemas devido a falhas na concepção e construção. Cupins, pregos soltos e pontas de madeira são também fontes de problemas – e acidentes.

Muita dor de cabeça pode ser evitada com manutenção preventiva. Janelas de correr e persianas de enrolar merecem cuidados simples, como a troca de roldanas, ou uma avaliação referente a cupins, mas, infelizmente, este item não é considerado prioritário. Os condomínios localizados próximos ao mar contam com mais um inimigo: o salitre, que corroí não só portas e janelas, como também a estrutura e rede elétrica. O síndico pode conseguir uma negociação vantajosa com uma serralheria, orçando a verificação das janelas de todos os apartamentos.

Substituição e acabamento

janela 1Em prédios muito antigos, com janelas de ferro ou madeira, é possível substituir as esquadrias existentes por novas sem alterar a fachada do prédio nem o interior dos apartamentos. As janelas são trocadas sem quebrar paredes e, na maior parte dos casos, substituídas por novas janelas em alumínio. O acabamento preferido costuma ser o branco, mas o alumínio permite inúmeros acabamentos, de diversas cores, com ou sem brilho. O alumínio também tem sido o material preferido para a construção de eclusas, substituindo grades antigas e revitalizando a fachada do prédio.

Se, ao invés do alumínio, o material escolhido for o ferro, o segredo para a durabilidade do material é uma boa manutenção. Mesmo que se tratar de ferro galvanizado, se não for realizada a correta manutenção, ele vai enferrujar da mesma forma. A galvanização é um tratamento antiferruginoso, ao qual o ferro é submetido. O material é mergulhado num tanque ácido, ganhando assim proteção. É recomendada pintura uma vez por ano com materiais antiferruginosos e tinta esmalte.

Já os portões devem ser construídos com uma boa estrutura para suportar o constante abre e fecha. É importante estar atento para a espessura do ferro utilizado. Há paredes de 0,8 a 2,5 mm para perfis tubulares. O síndico deve avaliar o porte da serralheria contratada. Há muito serralheiroportão 1 informal, que opera com um carro e uma máquina de solda. Depois, ele desaparece e o condomínio não tem para quem reclamar. É melhor contratar um profissional ou uma empresa especializada, capaz de fazer uma análise de cada item e garantir um acabamento mais duradouro.

A Sra. Jô Hirata, da empresa Monaliza Esquadrias em Madeira de Goiânia, afirma que dificilmente, no caso de manutenção das esquadrias de madeira, é necessário efetuar a troca total do material. Geralmente a manutenção é feita nas estruturas de metais que fazem parte da esquadria. Ela informa que as esquadrias de madeiras devem possuir verniz marítimo com proteção solar, principalmente nas esquadrias expostas. Também recomenda que a manutenção seja feita a cada 18 meses em estruturas expostas e 3 anos nas estruturas internas. Para a higienização de esquadrias internas, deve ser utilizado somente pano úmido, sem produtos químicos. Nas esquadrias externas, é permitido usar detergente neutro e água. O preço médio de esquadrias em madeira fica em torno de R$ 300,00/m², dependendo da madeira desejada. Segundo a Sra. Jô, a madeira mais indicada para o estado de Goiás é o ipê, por ser uma madeira mais densa e conseqüentemente mais resistente clima da região.

Segundo a Sra. Dinorá Morais Lima, da Santa Maria Esquadrias de Alumínio, existem locais onde não é possível efetuar a troca e manutenção de esquadrias em alumínio. Em alguns casos os acessórios podem não ser encontrados no mercado por serem antigos e em outros devido aos sinais de desgaste do material (amarelado) onde, segundo a Sra. Dinorá, não se encontra produtos para limpar o material. Na maioria das vezes sai mais barato efetuar a troca geral das esquadrias do que efetuar a manutenção. A Sra. Dinorá indica, para a aquisição de esquadrias de alumínio, o produto com pintura eletrostática, que facilita a limpeza das mesmas.

Fonte: Jornal do Síndico