Segurança integrada

Por Hubert Gebara *

guia-06O grande diferencial em matéria de segurança em condomínios é a atuação entre vários prédios vizinhos. Cada condomínio precisa de uma câmara, um sequenciador de imagens alternando as portarias, um monitor e um botão anti-pânico, que alerta a polícia ou as empresas de segurança, em caso de assalto.

A segurança solidária entre alguns prédios é melhor do que a ação de apenas um condomínio. A segurança integrada de condomínios é uma sugestão da  Secretaria de Segurança Pública dos Estado de São Paulo e pode ser de grande valia se instalada ainda nas férias de julho, quando muitos apartamentos ficarão vazios.

A insegurança continua sendo hoje o principal problema que aflige os condomínios, sejam residenciais,  comerciais ou corporativos. Muito se tem investido em tecnologia de ponta e treinamento de funcionários para combater e dificultar  a ação daqueles que, antes, já consideraram  os bancos como um alvo mais atraente para os delitos.

Essa situação fez com que algumas entidades diretamente interessadas na tranqüilidade dos condomínios unissem esforços. Com a parceria do Secovi-SP com a Secretaria de Segurança Pública, surgiu uma nova postura  anti-assaltos. Enquanto a Secretaria de Segurança Pública atua do lado de fora dos condomínios, um novo estado de alerta passou a existir intramuros, especialmente nas portarias. É preciso manter  o estado de atenção e as férias, com ou sem copa do mundo, são um período mais do que propício para incrementar a segurança.

(*) Hubert Gebara é vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, presidente eleito da Fiabci Brasil e diretor do Grupo Hubert. 

Fonte: SindicoNet