Saiba como funciona o consórcio de imóveis

No consórcio não existe cobrança de juros, mas há taxa administrativa, fundo de reserva e seguros

Os consórcios são uma modalidade de autofinanciamento. Quando um consorciado adquire a cota de consórcio, ele passa a fazer parte de um grupo com a finalidade de formar uma espécie de poupança, que é destinada à compra de imóveis.

consórcio

Para adquirir uma cota, o participante deverá ficar atento ao documento de Contrato de Adesão. Nele estão explicitadas as regras que regem o negócio contratado, como por exemplo: valor do crédito, prazo para pagamento, condições de contemplação, entre outras.

Mensalmente é feito o sorteio para a contemplação. Os participantes podem ofertar lances para conseguir antecipar a contemplação do consórcio e ter a carta de crédito liberada.

O consorciado também pode utilizar seu FGTS para fazer os lances ou para complementar o valor de sua carta de crédito.

Quando o consorciado tem sua carta de crédito liberada, o valor referente ao seu crédito é pago diretamente à pessoa ou à empresa que está vendendo o imóvel.

Caso o consorciado decida retirar o dinheiro, primeiramente ele precisa quitar todas as parcelas restantes e aguardar 180 dias.

Se o participante for contemplado, mas não deseja utilizar o crédito imobiliário, basta continuar pagando as parcelas e o valor referente à carta de crédito é depositado em uma conta bancária da administradora do consórcio.

A carta de crédito pode ser utilizada na compra de qualquer tipo de imóvel, para a reforma do imóvel que o consorciado já possui, ou para a construção de imóvel em um terreno de sua propriedade.

O crédito também pode ser utilizado para efetuar a quitação de algum financiamento que está em nome do consorciado.

As parcelas mensais de pagamento e o valor da carta de crédito são corrigidos a cada 12 meses pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

Caso não seja possível mais arcar com as parcelas, é possível reduzir o valor mensal com a contrapartida de reduzir o valor da carta de crédito, ou então, vender a cota para outra pessoa.

Por fim, ante de comprar um consórcio, é importantíssimo analisar detalhadamente o contrato com a ajuda de um advogado, bem como, saber qual o custo efetivo total (CET) da operação que conterá todas as despesas embutidas.

 

Fonte: ZAP Imóveis