Roupa limpa e economia de água

Em tempos de seca cresce a procura por lavanderias profissionais. Veja como isso pode ajudar moradores e condomínios

A seca tem castigado o Estado de São Paulo, que viu o nível das represas e reservatórios diminuir drasticamente. Na busca por economia de água, moradores e condomínios passaram a procurar um serviço que, até então, destinava-se mais frequentemente a peças de roupas especiais e delicadas: as lavanderias profissionais. E não é que a adoção da prática pode gerar muitos benefícios?

Nas lavanderias profissionais é possível economizar até 80% de água, isso porque as empresas acumulam pelo menos 30 peças antes de realizar uma lavagem tradicional.

Além disso, há também outras formas de limpeza, como as lavagens a úmido e a seco. Em ambos os formatos é utilizado um solvente – o mais comum é o percloroetileno.

A água aparece em segundo plano, apenas para o resfriamento da peça, e utiliza-se apenas 20% do volume que seria necessário na lavagem tradicional.

Parcerias com condomínios – Além do ganho ambiental, as lavanderias também oferecem comodidade para quem contrata, o que, em grandes cidades, pode fazer toda diferença.

Dessa maneira, o cliente escolhe como solicitar a retirada das roupas: por telefone, site ou com entrega das peças limpas em casa ou no trabalho.

Muitos condomínios têm aproveitado para firmar parcerias exclusivas com estabelecimentos próximos. Antigamente, o serviço era comum apenas em flats – prédios com sistema de hotel, com café da manhã, arrumadeira e lavanderia, mas agora a realidade abrange um mercado maior.

Franquias da 5 à Sec em bairros nobres da zona sul de São Paulo, por exemplo, já atendem alguns residenciais. Para o franqueado da rede, Alexandre Saidel, a parceria na região será de longo prazo. “Entre os serviços, oferecemos desconto para os moradores e delivery com hora marcada.”

A rede Elave também tem parcerias com alguns condomínios. A mais recente é com um que fica no Brooklin, igualmente na zona sul paulistana. No contrato está acertado que a empresa recebe uma comissão do condomínio para realizar o serviço e uma pessoa fica responsável por separar as peças e ligar para a lavanderia ir até  o local retirar.

Já no Spazio Vitae, condomínio no bairro da Saúde, os moradores têm o privilégio de contar com uma lavanderia terceirizada interna. “Está há 10 anos no local e só atende os condôminos”, explica o gerente Roger Ferreira Silva. Localizada na garagem do edifício, basta descer e deixar as peças. Quando prontas, o morador desce para retirar.

E no bolso? – Pode parecer que contratar o serviço de lavanderias no lugar de usar a própria máquina de lavar é algo que sai muito caro. Porém, quando se coloca na ponta do lápis os gastos com sabão em pó, amaciante e fluído para passar roupas, as parcerias com empresas podem até compensar.

É preciso fazer as contas de acordo com a quantidade média de peças que se costuma lavar em casa e o número de moradores.

Segundo Saidel, da 5 à Sec, o perfil do cliente que mais utiliza o serviço é do solteiro ou recém-casado, que não tem empregada todos os dias. Costumeiramente, gastam entre R$ 300 e R$ 400 mensais para lavar calças, blusas, camisas, lençóis e edredons.

Para quem utiliza muito, como é o caso de Felipe Maia, executivo que veste terno durante toda a semana, compensa fazer os pacotes. Na Elave, por exemplo, é possível pagar a partir de R$ 40 para lavar um blazer, uma camisa e um edredom. “O gasto médio dos clientes é de R$ 375, que dá direito a cerca de 50 peças por mês”, explica Solange Cavalcante, supervisora de uma das lojas da rede. O valor para as peças varia.

Se o condomínio quer economizar e há moradores que costumam utilizar o serviço ou teriam interesse em mandar parte das roupas para lavar fora, pode valer a pena reunir os interessados e conversar com as lavanderias próximas.

O que é importante analisar

- O número de moradores com interesse em aderir a possíveis parcerias;

- Os benefícios oferecidos pelas lavanderias próximas – como retirada e entrega das peças e descontos para os moradores

- A potencial economia de água que seria feita

Fonte: iCondominial