Os síndicos e as contas

Muitos talvez não saibam, mas se o síndico não prestar contas, cometer irregularidades e não administrar corretamente o condomínio, pode ser destituído do cargo pelo voto absoluto da maioria dos moradores. Como esse é um assunto polêmico, resolvi falar um pouco mais sobre ele e dar algumas dicas para quem pretende exercer essa função.

É comum surgirem suspeitas por parte dos condôminos com relação ao síndico. Sei disso porque lido diariamente com o ambiente condominial.

Os moradores querem, é claro, ficarsíndico profissional por dentro de tudo o que acontece no condomínio, mas muitos síndicos não transmitem as informações necessárias e geram mais transtornos para a situação. Por isso, a transparência da gestão do condomínio é de extrema importância, além de transmitir segurança para os moradores.

Dependendo do caso, o síndico também pode ter suas contas investigadas e até pode sofrer condenação criminal por apropriação indébita. Para evitar esse tipo de situação, advogados recomendam atenção especial para as atas de reunião e balancetes.

Poucos síndicos possuem o hábito de verificar o balancete mensal para acompanhar as receitas e despesas do condomínio. Esse é um erro muito grave! Sem um bom gerenciamento, as finanças do condomínio podem chegar rapidamente ao vermelho. E quem será responsabilizado por isso? O síndico, é claro. Nesse caso, todos os moradores vão acusá-lo e exigir explicações. Mas, se nem ele sabe o que aconteceu, o caso pode ser direcionado para a justiça.

Sei que desenvolver a tarefa de síndico não é fácil, mas aqueles que estão dispostos a exercer o cargo devem estar cientes das responsabilidades que virão. É um trabalho como qualquer outro e requer dedicação, organização, transparência e seriedade.

Vale ressaltar que existem casos em que o síndico pensa que está agindo de maneira correta, mas não está. Cuidado: tomar atitudes como utilizar o dinheiro próprio para pagar as contas do condomínio e depois pegar o reembolso também pode ser caracterizado como apropriação indébita.

Por essas e outras não custa nada se informar, saber quais são os direitos e deveres do síndico e ter boas noções de administração. Há cursos de especialização para gestores de condomínio e portais que tratam do tema.

Além de cursos, existem feiras voltadas para o universo condominial que trazem novidades e tendências que podem fortalecer o conhecimento e a gestão do síndico. Por isso, vai uma dica: se você é síndico, não perca tempo e corra atrás de se informar e se atualizar, ou amanhã poderá ser tarde!

Fonte: Folha do Condomínio