Organize a casa para evitar acidentes com os pets

Fios soltos, janelas sem telas e produtos de limpeza mantidos em lugares impróprios podem causar um desastre com os animais de estimação

Além de trazerem alegria ao lar, animais de estimação ajudam a diminuir as chances de bebês adoecerem, segundo pesquisa publicada na “Pediatrics”. Assim como as crianças, os pets também precisam de alguns cuidados dentro de casa para evitar que sofram acidentes.

O cuidado que se deve ter em casa com o animal é similar ao que o que se tem com as crianças, de acordo com Valéria Pires Correa, diretora técnica do Grupo Pet Center Marginal. “A criança tem sempre um adulto por perto, já os bichos de estimação passam muito tempo sozinhos, sem supervisão”, explica. Portanto, sua segurança precisa ser bem planejada e a casa adaptada para que eles não se machuquem.

Fios - Gatos gostam de brincar com fios e, ao encontrarem um cabo solto, podem encará-lo como um brinquedo e aí então se arriscam a um enforcamento. Fios desencapados e extensões também podem causar um curto-circuito ao terem os animais interagindo com eles. O ideal é agrupar os cabos e deixá-los fora do alcance dos animais. É perigoso que, ao puxar o fio, o eletrodoméstico caia em cima dele.

Tomadas também devem ser protegidas com protetores, pois os filhotes são muito curiosos e podem ser eletrocutados, caso não haja este cuidado.

Janelas - Proteção nas janelas é fundamental. Muitos animais ficam com medo de fogos de artifício e trovão, e é muito comum que, no desespero, eles tentem pular do prédio ao ouvir o barulho. “Gatos gostam de ficar no beiral da janela. Por mais que estejam acostumados, um inseto ou passarinho pode chamar sua atenção e ele pode se desequilibrar”, diz Valéria. A profissional lembra que mesmo os felinos podem se machucar ao cairem de um lugar alto. Para evitar uma fatalidade, é preciso colocar grades ou telas.

Piscinas - Casas com piscinas também devem oferecer atenção redobrada para evitar afogamento de crianças e animais. “Há no mercado um tipo de proteção que cobre toda a piscina e, dependendo do porte do animal, eles podem até andar por cima dela”, diz a veterinária da Clínica Mister Vet Janaina Reis. Existem opções de coberturas e até esteiras automáticas que fecham o ambiente quando ele não é usado, além de cercas removíveis.

Produtos de limpeza – Todo tipo de material químico deve ser mantidos fora do alcance dos bichinhos. Assim como os remédios, os produtos de limpeza devem ser guardados em um armário fechado, no alto. “Uma lambida já pode causar queimadura na língua, estômago ou esôfago e evoluir para um quadro bem grave. Dependendo do líquido ingerido, pode levar o animal ao óbito”, alerta Janaina Reis, que também é veterinária do SalvaCão, projeto que ajuda animais de rua ou em situações de mau-tratos e violência. Segundo a profissional, os aromatizantes devem ser evitados dentro de casa, já que eles podem causar uma bronquite alérgica nos animais.

Cozinha – Um forno quente pode representar perigo de queimadura para os pets. “O indicado é afastá-los da cozinha no momento de cozinhar”, diz Valéria, que lembra que gatos sobem com facilidades em mesas e no fogão. Tanto os felinos quanto os cães podem derrubar uma panela e causar um desastre. Objetos que podem ser quebrados devem ficar em ambientes fechados, para que os animais não esbarrem e se machuquem.

Objetos pessoais – Os cachorros sentem a falta do dono quando ele está fora de casa. Por isso, é comum que eles peguem objetos com o cheiro do proprietário para matar a saudades durante o dia. Mas é preciso ter cuidado: “Itens pontiagudos podem machucar os cães”, diz Janaína. Mesmo as meias podem causar um dano ao animal. De acordo com a veterinária, engolir um artigo como este pode causar um problema rio e até levar à morte. Portanto, deixar a casa bagunçada pode facilitar um acidente com o pet.

Portão – “O ideal é que casas com cachorro tenham dois portões entre o animal e a rua, para garantir que, se um for aberto, ainda tem outro para não deixá-los fugir”, recomenda Janaína.

Um portão pequeno também é muito útil no começo de escadas, para evitar que animais pequenos caiam pelo vão dos degraus. Filhotes geralmente gostam de entrar embaixo da máquina de lavar roupa ou do sofá, principalmente se ouvem algum barulho que os assustam, como um rojão. Proteger o espaço com uma tábua é uma boa ideia, pois, caso contrário, eles podem não conseguir sair do cantinho sozinhos.

Portas de vidro também devem ser sinalizadas, principalmente se o imóvel é novo e o animal ainda não se habituou à casa. “O proprietário pode colocar um adesivo na parte debaixo do vidro para que o bicho visualize que tem uma barreira e não atravesse correndo”, diz Valéria.

Lixo – Os animais não devem ter acesso ao lixo da casa, pois é um lugar que possivelmente contém objetos tóxicos e cortantes. Coloque-o em latas que sejam de difícil abertura para evitar desagradáveis surpresas.

Fonte: Revista Imóveis