O condomínio pode prevenir a violência do lado de fora?

Casos de violência na parte externa dos condomínios, muitas vezes de moradores e visitantes rendidos na entrada ou saída dos portões, também podem ser prevenidos por um sistema de segurança da edificação? O tema é analisado pelo consultor da área José Elias de Godoy.

1. A segurança em área pública é atribuição do Estado, mas há algo que os co ndomínios possam fazer?

Sim. Apesar de ser de competência do Estado, o condomínio pode investir em equipamentos de segurança como câmeras de CFTV e imagens gravadas, focalizando a área externa dos prédios; melhorar a iluminação externa com o foco voltado para a rua, evitando-se pontos de penumbra; integrar-se com os prédios vizinhos, formando uma rede de segurança no quarteirão e rua; e estreitar o relacionamento com os órgãos de segurança pública, principalmente o policiamento preventivo (PM). Com isso, as informações passam a ser transmitidas com maior rapidez, agilizando o atendimento e a resposta policial.

2. Qual o limite de ação dos vigilantes que trabalham externamente?

A legislação determina que a área de atuação da segurança privada seja intramuros. Este trabalho externo torna-se discutível uma vez que sua ação se resume ao campo preventivo, não havendo condição para operações repressivas. Esses profissionais não podem portar armamento na área externa dos prédios. Exceto em: área privada a ser protegida; na escolta de cargas; ou por agentes que efetuam segurança VIP.

3. Os programas comunitários e os Consegs podem ajudar na prevenção?

Sem dúvida, a participação comunitária é fundamental para a prevenção e o Programa Vizinhança Solidária, da PM, tem esse objetivo principal. Os membros dos condomínios devem participar das reuniões dos Consegs (Conselhos de Segurança do bairro) para levarem sugestões e buscar soluções de melhoria da segurança local. É uma oportunidade para as pessoas falarem e cobrarem, diretamente do comandante da PM e do delegado titular da área, medidas de proteção para a comunidade local.

Fonte: Direcional Condomínios