Moradia responsável

A preocupação com o meio ambiente vai muito além dos cuidados que temos com a poluição dos rios, as derrubadas das árvores e a caça de animais. Cuidar do verde é agir, é poder ter uma casa com iluminação adequada, solo não poluente e diversos fatores que influenciem na qualidade de vida das gerações futuras

Existem diversas maneiras para construir de forma sustentável. Centenas de materiais podem ser usados para preservar o meio ambiente e a família, como o telhado verde

Existem diversas maneiras para construir de forma sustentável. Centenas de materiais podem ser usados para preservar o meio ambiente e a família, como o telhado verde

Cuidar do planeta não é só ter consciência de não jogar lixo nas ruas ou não cortar árvores. A sustentabilidade tem um significado importante no planeta, um modelo de sistema onde se deve manter e conservar. Em Brasília a construção sustentável vem como uma alternativa para uma melhoria na cidade. Pensar no material que irá se utilizar ao construir uma casa ajudará bastante na contenção de energia, de água, entre outros fatores. De acordo com especialistas, uma casa ecologicamente correta diminui o impacto no meio ambiente.

Os arquitetos Alexandre Rocha e Rodrigo Fonseca esclarecem formas de se construir uma casa sustentável sem ter prejuízos ou problemas que possam acarretar no meio ambiente. “A casa sustentável não é só usar os materiais ecológicos, mas é construir de uma forma correta sem que agrida o meio ambiente ou com um impacto menor. As pessoas evitam usar essa técnica por falta de conhecimento”, explica Alexandre.

Uma construção ecologicamente correta é uma construção onde você usa materiais ecológicos com baixo impacto ambiental. E isso é uma forma de pensar no futuro e uma forma de trazer conscientização para uma qualidade de vida melhor. O caminho para a sustentabilidade não é único, só depende do conhecimento das partes envolvidas no projeto. Em Brasília, aos poucos, as pessoas estão tendo conhecimento sobre essa sustentabilidade, mas falta o impulso para tomar a iniciativa. “As pessoas se preocupam, mas na hora de tomar a iniciativa elas optam pelo que é mais rápido. Comprar uma casa já pronta e querer colocar bambu não é ser sustentável. A pessoa tem que entender que isso vai mais além”, diz Rodrigo.

Se mudar pra uma casa inacabada nem sempre é bom. Evitar de ter o grande gasto inicial da casa sustentável assusta as pessoas que querem usufruir desse método. “As pessoas têm uma ansiedade muito grande. Para fazer uma obra sustentável não se leva uma semana é um planejamento em torno de quatro meses a um ano. A pessoa tem que ter paciência, pois tudo é planejado com detalhe”, fala Alexandre.

De acordo com eles, a melhor forma de não ter dores de cabeça com esse tipo de construção é pesquisar sobre o assunto sustentabilidade, procurar uma consultoria e tirar as dúvidas, esperar com calma, pois é feito um amplo projeto, executar o projeto conforme foi passado sem alteração.

O preconceito com certos materiais também deve ficar de lado. Como exemplo, a casa de pau a pique é um método muito usado para deixar a casa arejada e que muitos rejeitam facilmente. “É um material bom e muito utilizado no interior de cidades pequenas. Mas as pessoas não querem aquela aparência, querem aquela mais bonita, a mais cara, sem pensar no impacto que ela causou”, diz Alexandre.

Condomínio Sustentável

Diante das diversas situações que temos visto o mundo passar como alterações climáticas, descongelamento de geleiras e intensas ondas de calor, muita gente tem feito sua parte e se preocupado com o meio ambiente. Localizado no Parque Way, o condomínio Via Sol foi construído com o intuito que permitisse a criação de espaços verdes com baixo custo de manutenção. A arquiteta Fatah Mendonça explica que a inspiração foi devido a necessidade de as pessoas viverem confortavelmente sem precisar agredir o meio ambiente. “A ideia do condomínio Via Sol foi inspirada por uma situação que antecede em muito a preocupação atual de sustentabilidade. Abrindo mão de tecnologias e dispositivos, permitindo um baixo custo de manutenção”, explica a arquiteta.

Oferecer para o cliente uma construção sustentável já pronta torna-se vantajoso pela economia que ele terá a longo prazo e contribuindo para o meio ambiente. Mesmo com o gasto inicial sendo alto, o cliente entende que a contribuição para melhoria futura é válida. “O investimento inicial para construir um empreendimento como este é maior, porém a médio e logo prazos ele se torna econômico”, diz Fatah.

A arquiteta conta que a procura por empreendimentos sustentáveis está crescendo de acordo com o esclarecimento e o entendimento da sustentabilidade. “À medida que o cliente entende o grau da importância dessas ações, ele compra. O importante é o que se planta hoje vamos colher amanhã”, diz.

Dicas

Confira nove dicas para construir uma casa ambientalmente amigável. Na maioria, são cuidados simples, alguns que até já são praticados, que podem fazer a diferença na natureza.

- Como se trata de um mercado em constante renovação, informe-se sempre pela internet e com quem trabalha com esse tipo de material quais são as novas tendências;

- Troque os materiais de construção pelos produzidos com baixo custo ambiental. Por exemplo, tijolo de solo-cimento em lugar do tradicional;

- Pode custar mais, mas dispensa o acabamento com massa corrida, ou seja, o custo fica zero a zero;

- Isole bem a casa, como forma de aproveitar ao máximo a refrigeração e o aquecimento, evitando desperdício;

- Sistemas de captação de energia solar e de água da chuva são mais complexos de serem instalados, mas dão resultados e retorno do investimento a médio e longo prazos;

- Medidores de consumo de água ajudam a controlar e reduzir o consumo;

- Troque lâmpadas comuns pelas fluorescentes, que consomem menos;

- Em vez de ar-condicionado, use ventiladores de teto. Também servem no frio, para movimentar o ar quente concentrado no alto;

- Algo de baixo trabalho e alto rendimento: plantar árvores. Se forem frutíferas, melhor: você pode consumir a produção e até iniciar sua própria horta;

- Dê preferência a utensílios do lar eletrodomésticos.

Fonte: Jornal da Comunidade