Livre-se dos dispersadores de tempo

A correria do cotidiano traz a sensação de que 24 horas já não são mais suficientes para resolver todos os problemas do dia a dia. Mas se antigamente era possível, por que agora o tempo parece mais curto e a lista de tarefas não para de crescer? A resposta está nos dispersadores ou dissipadores de tempo, atividades desnecessárias que tiram a concentração e roubam minutos preciosos.

A grande dúvida gira em torno de como criar ou controlar melhor o tempo. Tália Jaoui, palestrante comportamental e especialista em programação neurolinguística, comenta que quando o assunto é administração de tempo e dispersadores, é importante que a pessoa assuma a responsabilidade quanto aos momentos gasto  com café, telefone, mensagens, redes sociais, e-mails e demais atrativos que desviam o foco dos afazeres, seja no trabalho ou em casa. “A forma como gastamos nosso tempo é uma escolha. Fazemos escolhas desde o momento em que acordamos até a hora de ir dormir. Se tudo é uma questão de escolha, então decida o que você vai fazer com o seu tempo”, aconselha Tália.

focar no trabalhoPriorizar é a palavra de ordem, enquanto foco e planejamento são essenciais para um melhor aproveitamento do tempo. Christian Barbosa, especialista em administração de tempo e produtividade, aconselha a ter clareza sobre o que deve ser feito para evitar se dispersar com ações banais. Por esse motivo, foco torna-se essencial. “Para evitar saltar de uma atividade para a outra sem finalizar a anterior, feche softwares que não estejam em uso, coloque o celular no silencioso e, se funcionar para você, ouça música”, orienta o especialista

Cansaço e falta de concentração podem ser sinais que o seu corpo está dando para alertar que a carga de trabalho está excessiva. Barbosa lembra que a falta de energia rouba minutos preciosos, pois involuntariamente a pessoa acaba procurando maneiras para se distrair. Por esse motivo é importante ter hobbies, alimentar-se saudavelmente e, nos casos mais específicos, procurar um médico que analise o caso e receite algum tratamento adequado, indica Christian.

O desperdício de tempo afeta diversos pontos da vida das pessoas, mas é sentido principalmente quando envolve trabalho. Pequenas atitudes fazem a diferença e podem render bons momentos de descontração e descanso.   Considerados os principais vilões, redes sociais e mensageiros instantâneos podem ser usados, mas com moderação. Christian Barbosa sugere que o uso dessas plataformas decomunicação seja restrito a eventuais intervalos durante o dia ou no horário de almoço. “A regra é simples. Se você está ocupado, então fique invisível ou desconecte. Caso esteja tranquilo para conversar, coloque no status ausente ou ocupado. Disponível você só deve ficar quando realmente tem tempo para conversar”, orienta Barbosa.

Outros dois problemas relacionados com a internet e que também podem ser vilões quando o assunto é dissipador de tempo, são os navegadores com favoritos e programas de e-mail.   Christian sugere evitar ficar com o programa de e-mail aberto, pois isso aumenta o número de interrupções no trabalho, que acarreta a ampliação do nível de ansiedade e a sensação de um monte de coisas para fazer. A dica do especialista é manter fechado tanto o e-mail particular quanto oprofissional e definir um tempo preestabelecido para visualizar e responder as mensagens durante o dia. Quanto ao navegador, quanto mais sites estiverem expostos na barra de favoritos, mais certa é a distração e consequentemente, maior é o tempo perdido com assuntos sem relevância. Christian aconselha a instalar um novo navegador, sem lista de favoritos, o que evita a tentação de navegar pela internet à toa.

Tália cita algumas atitudes que também complicam o aproveitamento das horas de trabalho. “Deixar para tomar café no trabalho, facebook, levantar repetidas vezes para ir ao banheiro, e-mail pessoal e café no meio do expediente são alguns dos principais dissipadores de tempo útil no trabalho. Somando o quanto se perde com essas ações, a parcela usada efetivamente para trabalho fica curta”, lembra Jaoui.Conversas paralelas também devem ser evitadas.   “Ao invés de feedback, é comum você ouvir pelos corredores o ‘fofobeck’, que não leva ninguém a lugar nenhum. E engana-se quem pensa que essas fofocas de corredor são atitudes exclusivas das mulheres. Homens também fofocam e muito”, ironiza Tália.

A forma como você se comunica e delega funções dentro da empresa também contribui para otimização ou perda de tempo. Isso pode ser facilmente identificado com a quantidade de reuniões necessárias para que a empresa consiga afinar o discurso e dar continuidade às atividades. “Dieta de reuniões já! Quanto menos, melhor. Caso seja inevitável, seja objetivo, defina pontos de discussão e separe no máximo duas horas para a reunião”, sugere Christian Barbosa. O especialista em administração de tempo também recomenda uma revisão sobre as informações enviadas por e-mail, pois o ideal é evitar constantes trocas de mensagens.

Um problema enfrentado principalmente pelas pessoas adeptas do home office é o rendimento do trabalho frente às distrações oferecidas pela casa. Tália menciona que independente do espaço físico, mesmo estando em casa, é preciso focar que se está trabalhando, portanto, nada de ficarPregnant woman, man and son de pijama ou trabalhando e cuidando dos filhos ao mesmo tempo. “A criança deve ir para a escola e a mãe ou o pai precisa trabalhar. O legal de trabalhar em casa é que os pais podem acompanhar mais de perto o crescimento dos filhos, porém, se a criança não está em idade de ir para a escola, peça ajuda para um parente ou uma babá”, salienta Jaoui.

Christian lembra que as pessoas são diferentes, logo, é difícil apontar qual é o fator que mais contribui para o desperdício de tempo em casa. “Cada um tem seus hábitos diferentes. Alguns são mais focados, porém não conseguem se organizar, enquanto outros se planejam, mas, não de forma correta. É importante entender que um fator acaba levando ao outro e, por isso, se faz necessário melhorar o método de gestão das atividades”, orienta Barbosa.

Todo mundo precisa de férias, independente se funcionário ou dono de empresa. “Desconectar-se do trabalho e ter momentos de lazer é essencial, pois gera criatividade e renova as energias para novos desafios. Por esse motivo é muito importante também dedicar tempo para a vida pessoal”, comenta Tália. Aproveite esses momentos para cultivar o casamento, adicionar momentos de romance no dia a dia e ser mais participativo no crescimento dos filhos.

Segundo Tália Jaoui, o primeiro sinal de que se está desperdiçando tempo é quando a pessoa começa a reclamar que não consegue mais realizar todas as suas tarefas durante o dia. O sono alterado também é uma característica de quem não está sabendo aproveitar corretamente o tempo e fica mais evidente quando a pessoa se pega pensando em como resolver os problemas antes de dormir. A saúde também fica prejudicada e é possível perceber através do efeito “sanfona”. Por conta da alimentação incorreta fica evidente a alteração de peso.

Christian defende a ideia de que saber o que fazer é importante, porém, saber o que não deve ser feito é mais importante ainda. ”Nem todos conseguem ter essa percepção e isso acaba se transformando em um grande fator de perda de tempo, frustração e ausência de realizações. Não estou querendo dizer apenas em saber dizer “não”, estou querendo falar sobre sua atitude com relação às suas demandas. A forma como você encara as coisas que roubam parte da sua vida, sem você sequer perceber”, comenta Barbosa.

A dica de Tália para quem realmente quer mudar sua situação e aproveitar melhor o tempo é eliminar a expressão “não consigo” do vocabulário. Segundo Jaoui, planejar e colocar em prática o plano de ação é a solução para o problema. “A falta de consciência é o maior inimigo da otimização, logo, é preciso ter plena noção do que se está fazendo e começar a priorizar as demandas. As pessoas tratam o tempo de forma leviana, como se não fosse valioso. E é aí que está o grande problema”, afirma Tália Jaoui.

Fonte: Portal BBel