Jardins verticais chegam aos condomínios

Foto: Reprodução TV Globo

 Desde de maio, interessados em permitir instalações de jardins verticais nos edifícios vizinhos ao Elevado Presidente Costa e Silva (Minhocão), via que liga as zonas Oeste e Leste, na região central de São Paulo, devem enviar carta de intenção à Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA). Podem se candidatar condomínios que possuam empenas cegas (paredões sem janelas) que estejam localizadas a uma quadra do viário. De acordo com a prefeitura, além de melhorar a paisagem urbana, os jardins são capazes de contribuir na filtragem da poluição do ar.

A escolha dos edifícios será feita pela Câmara Técnica de Compensação Ambiental (CTCA) e se dará a partir de alguns critérios, como o fato de a nova área verde proporcionar redução da poluição sonora e do calor no entorno.

Benefícios dos Jardins Verticais

O Jardim Vertical é uma estrutura capaz de sustentar e manter vegetações sobre e paralelamente a superfícies verticais. Eles podem ser aplicados em qualquer superfície vertical, como muros, paredes e empenas cegas, pois se adaptam tanto em espaços internos como externos.

Além de melhorar a paisagem urbana, os jardins são capazes de contribuir na filtragem da poluição do ar e no conforto térmico, tanto do edifício onde está instalado, quanto do seu entorno. As plantas auxiliam também no controle da umidade, além de representarem uma significativa barreira acústica.

Segundo a Secretaria do Verde e Meio Ambiente, não há riscos de infiltração para os locais onde o jardim está instalado. Ele também exige pouca manutenção, pois o sistema de irrigação é automatizado, e pode ser retirado posteriormente, sem que a superfície original seja danificada.

Em março deste ano, a prefeitura publicou o Decreto n° 55.994, que permite a conversão da compensação ambiental em obras e serviços, jardins verticais e coberturas verdes. Os recursos para a implantação dos jardins virão da Secretaria do Verde, por meio dos Termos de Compensação Ambiental (TCA) que as incorporadoras têm com a secretaria.

Fonte: Folha do Condominio