Investimento com coleta de chuva pode reduzir conta de água

Criado em 2003, o programa de conservação e uso racional da água nas edificações exige que todos os prédios construídos em Curitiba devem ter o investimento da possibilidade de colher água da chuva.

captação de água da chuva 1

Segundo informações da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), para fazer o cálculo da economia e do investimento de um prédio com a captação da água devem ser levadas em conta algumas variáveis como: tamanho do edifício, área de captação, área de armazenamento, quantos moradores irão usufruir dessa água, quais são os fins e destinos principais e o tempo de estiagem. Com a coleta dessas informações já é possível determinar qual vai ser a viabilidade do projeto.

Um condomínio que trabalhe com esse investimento e utilize a água da chuva, inclusive nos vasos sanitários, pode chegar a economizar até mesmo 50% na conta no fim do mês. Se excluir a descarga, a economia ainda assim é bem-vinda, podendo chegar a até 30%.

Se o prédio trabalha com a captação de água da chuva, ela é usada principalmente nos vasos sanitários. Pode-se observar que há dois registros nos banheiros, um feito para a tubulação de água encanada e outro para a captação.

Para verificar se o edifício está 100% apto para utilizar a água da chuva, basta conferir as diferentes plumagens, com a ajuda de um profissional de encanamento. Ao avaliar o prédio, é ideal que também sejam analisadas as cisternas e os sistemas de captação. Procure pelas bombas e filtros e não se esqueça de pedir a um engenheiro de confiança para verificar o sistema e conferir o uso da água da chuva.

Fonte: Blog Ademilar