Gerador de energia para portões

Gerador de energia para portões

O portão do condomínio é uma das ferramentas mais utilizadas pelos moradores. Hoje, praticamente todos os portões são automáticos, o que permite que os condôminos os acionem via controle remoto sem precisar sair do carro. No entanto, para funcionar adequadamente, o portão automático precisa ser alimentado por uma fonte de energia. E quando o fornecimento de energia elétrica é interrompido? O portão imediatamente deixa de funcionar no modo automático, a menos que o sistema conte com o socorro temporário do nobreak, equipamento ainda pouco conhecido pelos síndicos e condôminos.

De acordo com Felipe Gariba, proprietário da Inova Segurança, existem diversos tipos de nobreak para portão. Os modelos se diferenciam pela capacidade de manter ciclos de abertura e fechamento. “Além da potência, cada nobreak deve ser customizado de acordo com o fluxo de funcionamento do portão aliado ao seu tamanho e peso”, explica. Segundo Gariba, a duração mínima ou máxima varia de acordo com a necessidade do condomínio. “Em condomínios pequenos, recomenda-se, pelo menos, um ciclo de 50 aberturas e fechamentos, porém, em grandes condomínios com um alto fluxo, esse número é maior”. O custo médio pelo equipamento instalado oferecido pelo mercado varia entre R$ 1.500 e R$ 2.300.

No condomínio Residencial Camila (foto acima), com aprovação dos condôminos em assembleia, o nobreak foi instalado depois de os moradores terem vivenciado experiências desagradáveis com a falta de energia, conforme relata o síndico Marcelo Pereira: “Utilizar o portão no modo manual provoca transtornos para os moradores, especialmente nos dias chuvosos”, relata. Depois de instalado, o gerador requer revisão no sistema a cada seis meses, quando a empresa contratada realiza os devidos testes. “É um equipamento que dificilmente apresenta problemas, mas todo sistema exige manutenção”, complementa Felipe Gariba.

A segurança também é um fator que motiva a instalação do nobreak. Com o portão no modo manual, o morador e o condomínio ficam mais vulneráveis. “O morador desce do seu veículo, abre o portão manualmente, guarda o carro na garagem e volta para fechar o portão. É um risco desnecessário”, alerta Felipe.

Mas nem todos os portões são adaptáveis ao sistema. De acordo com o proprietário da PWM Soluções em Energia, Alexandre Bock, não foi fácil para a engenharia desenvolver o sistema para os portões automáticos. “Era difícil aplicar o nobreak nos portões, porque os motores antigos não se adequavam ao equipamento. Os motores também passaram por evoluções tecnológicas para viabilizar a aplicação”, explica Bock. Portanto, condomínios que ainda possuem portais de acesso ultrapassados não comportam o gerador.

Fonte: CondomínioSC