Família previne acidentes

Os costumes antigos, de prevenção de acidentes, podem e devem ser mantidos, inclusive, pelas atuais famílias, dentro dos condomínios

Extended happy family standing in the park.

Os costumes antigos, de prevenção de acidentes, podem e devem ser mantidos, inclusive, pelas atuais famílias, dentro dos condomínios, local onde esperamos que o sossego, a salubridade e a segurança sempre sejam eficientes.

Sem retirarmos a total responsabilidade dos pais pelas crianças, mesmo nos condomínios, entendemos que as famílias precisam se unir ao síndico e conselheiros para desenvolverem um plano de segurança e vigilância mais amplo sobre os perigos às crianças e jovens.

Essa interação, com reuniões internas de orientações aos pais, aos empregados do condomínio, aos cuidadores das crianças, aos jovens e idosos, no uso das escadas, elevadores, janelas, varandas, “playgrounds”, piscinas, quadras esportivas, garagens e rampas. Ajudará muito um psicólogo(a), um profissional de segurança e um(a) médico(a), que instruam as crianças, jovens, adultos e idosos nos comportamentos preventivos dos acidentes e nos socorros urgentes aos acidentados.

Dentro ou fora das reuniões, os pais devem receber muito bem as reclamações sobre seus filhos e agradecer a quem as fizerem, pois estarão se protegendo e também aos seus filhos. Convém instruir, também, aos infantes e jovens moradores que não facilitem as entradas de estranhos nos condomínios (visitantes, empregados, etc.), cujos acessos devem ser separados dos portões de entrada dos moradores já credenciados. As entradas de veículos não cadastrados devem ter sempre o acompanhamento de um funcionário do prédio, seja para taxi, veículo de visitante, de entrega de objetos ou de mudanças.

Nunca sabemos quem está bem ou mal intencionado. Os pais devem lembrar, repetidamente, aos seus filhos, as prevenções aos acidentes, pois as crianças e jovens ficam naturalmente desatentos a esses bons costumes. Na verdade, estão com as atenções sempre voltadas às brincadeiras, músicas, amigos, celulares, etc., esquecendo-se de se protegerem.

Aliás, os bons costumes refletem a boa educação, que previne acidentes. O Código Civil, em seu art. 1336, inciso IV do art. 1336, dispõe: – São deveres dos condôminos: IV – dar às suas partes a mesma destinação que tem a edificação, e não as utilizar de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança dos possuidores, ou aos “bons costumes”. Que as famílias os tenham para se protegerem.

Fonte: Síndico News