Eliminando as sobras

Azulejos, pisos, tijolos, areia e pedra são alguns dos muitos materiais de construção que acabam ficando entulhados no final daentulho de obra 3 obra

Seja por falta de planejamento ou erro de cálculos na hora da compra, sempre sobre alguma coisa quando acaba a construção ou reforma de um imóvel.

De acordo com a engenheira civil e diretora adjunta do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (Senge), Sandra Mara Nepomuceno Cardoso, o correto é fazer a separação do entulho, encaminhando o que pode ser reciclado para as cooperativas de reciclagem ou doando a instituições de caridade e destinando os restos de materiais de construção que não podem ser aproveitados para locais licenciados e apropriados para receber o entulho.

De acordo com a diretora, para eliminar prejuízos com a sobra de materiais, é fundamental que um profissional especializado faça um planejamento do que é necessário para a construção e acompanhe todo o andamento da obra.

“As sobras de materiais são decorrentes da falta de um profissional especializado, planejando e acompanhando a execução da obra, erros de projeto e também das alterações feitas durante o trabalho, como uma parede que é construída e depois demolida por conta de mudança de planos”, exemplifica a engenheira.

No intuito de “economizar”, o proprietário que acha desnecessária a realização de um levantamento correto de materiais que serão utilizados e não contrata um especialista para realizar o serviço pode perder dinheiro. “O ideal é que o profissional responsável pela obra leve o projeto até a loja de materiais, antes do início da construção, e peça os materiais, de acordo com o que determina o planejamento”, recomenda.

De acordo com o secretário de Serviços Públicos de Maringá, Vagner Mussio, a Lei Federal 12305/2010 – que versa sobre a gestão dos resíduos sólidos – determina que o proprietário da obra deve contratar uma empresa responsável por colocar o entulho em uma caçamba e fazer a destinação correta. “Em Maringá temos três locais licenciados pelo Instituto Ambiental do Paraná para fazer a destinação desse tipo de resíduo”.

Segundo Mussio, a prefeitura está viabilizando a aplicação de uma lei municipal já existente que determina que o proprietário da obra apresente um contrato com uma empresa especializada, antes do início da obra. “Se ele não apresentar esse contrato, não conseguirá emitir o alvará para a construção. Essa medida vai evitar que algumas pessoas contratem carroceiros e joguem o entulho em fundos de vale, como acontece com frequência no município”.

A prefeitura estuda medidas de fiscalização das obras para evitar o descarte indevido. O despejo irregular de lixo e entulho é passível de multa – os valores variam conforme a gravidade da infração e o tamanho da área afetada.

Libere o artista

Sobras de materiais podem se transformar em uma obra de arte e despertar o artista que há em cada um. Restos de madeiras dão vida a mesas e cadeiras. Pisos vinílicos recortados podem compor um quadro na parede. Azulejos decoram bancadas ou a parede. As tintas podem pintar vasos e as cadeiras de madeira. Tente!

Fonte: Diário do Norte