Eles x elas: o que, afinal, cada um quer na decoração?

Enquanto mulheres priorizam os detalhes para compor o conjunto, os homens ficam atentos aos gastos, ao conforto e às novidades tecnológicas

Casa nova. O casal vai junto à loja escolher as peças para montar os quartos, a sala e a cozinha. Ela quer papel de parede e “aquele” vaso para combinar com “aquele” sofá colorido. Ele só pensa em quanto todos “aqueles” vão custar e estica o olho “naquela” televisão de última geração.

casal comprandoÉ mais ou menos assim que homens e mulheres priorizam suas compras, segundo profissionais da área de decoração. E estes contrastes não são apenas para casais, mas para homens e mulheres de maneira geral. O olhar delas é geralmente para o conjunto da obra e, ao mesmo tempo, para os detalhes que vão compor os cômodos. Já os homens, por sua vez, são mais práticos, preferem eletrônicos e dão maior peso ao fator “dinheiro”. Eles olham as peças como investimento, ao contrário delas, que pensam na satisfação com tal aquisição.

“O homens são objetivos, mais direcionados na peça e focados na questão financeira. A mulher vê, além da praticidade, a função do móvel no cômodo todo. Ela analisa todos os detalhes e é mais criteriosa. A grande diferença é essa, salvo exceções”, afirma Claudia Casali, proprietária da loja Área Útil.

Para ela, que está há 20 anos nesse mercado, a decisão na hora de compor a casa tem mudado de uns tempos para cá. Antes era comum a mulher ir com calma à loja, escolher tudo e depois levar o marido para “bater o martelo”. Situação que ainda acontece, mas com menos frequência. Atualmente, a maioria dos casais vai junto à loja para escolher os móveis. Os arquitetos Ricardo Melo e Rodrigo Passos acreditam que tanto homens quanto mulheres estão preocupados com a estética nos dias de hoje.

Em relação à escolha de cores, todos são unânimes: mulheres preferem tons neutros. É mais fácil para fazer as combinações com peças mais coloridas, por exemplo. Já homens preferem cores escuras, tanto pela questão estética como também porque acreditam durar mais e sujar menos.

“Mas nem sempre é uma boa escolha porque o objeto em cor clara pode ser lavado várias vezes sem desbotar”, completa Claudia.

Esta também é a visão das vendedoras da Breton Actual, Márcia Morelli e Magaly Victorino. De acordo com as duas, o cliente masculino geralmente prefere móveis funcionais, confortáveis e com cores frias, enquanto as mulheres têm preferência por peças mais criativas, além de serem mais detalhistas e exigentes.

A arquiteta Bianca Da Hora atende vários casais e conta que o ponto de negociação é que como na sala eles priorizam a tecnologia, para o quarto acabam abrindo mão da parte decorativa, liberando, assim, que elas usem tons claros, papéis de parede e objetos mais chamativos.

“Atendo muito casais. Em alguns, a mulher escolhe tudo e o homem só reclama dos preços. Mas tem outros em que a mulher não se mete e ele resolve tudo. De modo geral, acho que homens estão mais participativos, mas decisão da mulher ainda tem mais peso”, avalia Bianca.

Uma curiosidade à parte é que, cada vez mais, os homens estão exigindo um espaço só para eles na casa. Normalmente, é a adega que, segundo Ricardo Melo, tem sido solicitado com frequência por eles, para eles e do jeitinho deles.

Fonte: O Globo