Descarte correto do lixo

Móveis ou volumes muito grandes precisam ser retirados de forma diferente e vão para um local específico

Normalmente, o lixo acumulado pelos condôminos no dia a dia é colocado em sacos plásticos e levado à lixeira de cada andar do condomínio. A partir daí, os funcionários responsáveis pela limpeza fazem a retirada inicial e, depois, o caminhão da prefeitura faz a retirada nos dias combinados, conduzindo tudo aos aterros sanitários. Porém, o que fazer quando se tem um objeto muito grande ou um volume acima do normal para descartar?

Embora não haja uma legislação específica, segundo o administrador de condomínios Nehaze David Milano Filho, condomínios costumam retirar todo tipo de lixo, mas isso deve estar previsto no regimento interno e o local para o descarte precisa ser informado aos moradores. “Para se desfazer de grandes objetos, o ideal é armazená-los em sacos de até 100 litros e amarrá-los”, pontua Milano Filho.

Entretanto, o serviço público não realiza esse tipo de retirada, ou seja, grandes volumes, principalmente relacionados a entulhos e móveis, não são recolhidos pelos caminhões, de forma com que o descarte deve ser feito em locais específicos.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, existem espaços comunitários para a coleta, os chamados Ecopontos localizados em alguns bairros diferentes e que recolhem desde pequenos volumes de entulho até grandes objetos gratuitamente. A lista pode ser conferida no site da Prefeitura do município (www.prefeitura.sp.gov.br). Quem não obedecer, jogando este tipo de lixo em qualquer lugar, pode pagar até R$ 12 mil em multas. De acordo com a Prefeitura, atualmente há mais de 1.500 pontos de descarte de entulho viciados – locais não apropriados para o descarte.

Alternativas – O primeiro passo, portanto, é verificar diretamente com a prefeitura do município se há espaços de recolhimento. Outra opção, especialmente para quem está reformando ou precisa jogar grande quantidade de lixo, é o serviço de caçambas.

Existem empresas especializadas que alugam por um tempo determinado e depois retiram e depositam os resíduos nos espaços destinados a eles.

O ponto negativo é que pode naõ sair barato, e aí vale checar dentro do próprio condomínio se não há mais moradores interessados em dividir o valor para fazer o descarte do que não querem mais. Uma simples reunião pode ser suficiente para propor a ideia.

Outra opção é pagar empresas particulares que realizam a retirada do entulho ou móvel usado e cobram, dependendo do caso, menos do que o valor a ser pago pelo aluguel de uma caçamba.

É o caso da Ecoassist, que tem como foco o descarte sustentável, cuidando da retirada dos objetos no local indicado, separação, tratamento e destinação correta dos resíduos.

Fique atento

  • Ao contratar o serviço de caçambas, o contrato deve expor claramente que é de responsabilidade do contratado a coleta e o destino do lixo
  • O transportador também deve emitir uma via do CTR (Controle de Transporte de Resíduo), comprovando que o entulho foi descartado em local adequado
  • Agrupe os resíduos em sacos de até 100 litros, amarre-os e descarte no local sugerido pelo condomínio
  • Cada condomínio deve prever no regimento interno como será o descarte de grandes volumes de lixo

Fonte: iCondominial