Desafio para poupar dinheiro em 52 semanas faz sucesso nas redes sociais e é aprovado por economistas

Nova proposta de poupança sugere ao internauta a poupar R$ 1 a mais por semana. Ou seja, na primeira semana do desafio se poupa R$ 1. Na segunda, R$ 2, e assim sucessivamente

Gildo Loyola - GZ

Uma nova forma de poupar dinheiro está chamando atenção no Facebook e virando febre. O “Desafio – 52 semanas para poupar dinheiro”, propõe ao internauta a poupar R$ 1 a mais por semana. Ou seja, na primeira semana do desafio se poupa R$ 1. Na segunda, R$ 2, e assim sucessivamente até chegar a 52 semanas. De acordo com a tabela divulgada, no final das contas sua poupança será agraciada por R$ 1.378.

Para o consultor financeiro César Gomes, essa é uma forma criativa de encarar a realidade de que se deve poupar pelo menos 15% da renda do mês. “O Brasileiro é um gastador por natureza. Todas as formas que as pessoas conseguirem de se ‘auto-policiar’ para poupar dinheiro é elogiável. Essa tabela é criativa, a ideia é muito boa. Se a pessoa faz isso no primeiro ano e da certo, ela deveria dobrar o valor depositado em 2015, e triplicar em 2016″, afirma o consultor.

César afirma que falta a população brasileira ter consciência de que pagar as contas a vista, e ter dinheiro em cash, é mais vantagem na hora da compra. “Por exemplo, esses dias as Lojas Americanas me ofereceram, por meio do e-mail, uma máquina por R$ 509, se eu comprasse em 30 minutos. O mesmo eletrodoméstico custa na Eletrocity, por exemplo, R$ 1.450. O dinheiro a vista serve para essas horas. Se o brasileiro souber, como o japonês sabem, que o dinheiro a vista vale mais, ele começa a criar formas alternativas de poupança”, pondera.

Outra forma de poupança, sugerida pelo consultor, é em conjunto com o gerente do banco. Uma pessoa com renda mensal de R$ 5 mil, poderia solicitar ao seu gerente um saque automático diário de R$ 200 reais, que deve ser transferido para a poupança. Quem tem uma renda menor, entre R$ 1.200 e R$ 1.500, deve pedir um saque diário de R$ 50. “É uma forma muito antiga, e muito utilizada pelas pessoas. Para ser sincero, essa tabela vem com um apelo de conexão social. É uma corrente de economia muito positiva, no estilo ‘se ele pode, eu posso’”, observa o César Gomes.

O desafio de poupar dinheiro em 52 semanas pode ser uma solução principalmente para jovens entre 18 e 28 anos, que estão no início de carreira profissional e tem uma tendência maior para gastos excessivos. “Essa é a faixa do acelerador: gasta tudo que tem e pede mais para o pai. Se cai no gosto desses jovens, que normalmente não poupam nada, seria também uma grande evolução. No Brasil, as pessoas começam a economizar geralmente aos 35 anos”, aponta o consultor financeiro.

Reprodução
Fonte: Gazeta Online