Cuidados com a piscina na chuva

“As chuvas provocam aumento de algas na piscina, que prejudicam a água e a saúde dos banhistas”, afirmam os especialistas. Confira as dicas de profissionais da área para manter esse espaço de lazer sempre saudável e apropriado para o momento de diversão nas férias

chuva na piscina

O verão chegou e é nesta época que queremos sombra e água fresca. E em Brasília, como não tem praia, nada melhor que aproveitar uma piscina, que combina muito bem com as férias. No entanto, nem todo mundo tem o cuidado ideal com ela, pois é exatamente nesse período que o cuidado com a limpeza deve ser redobrado.

Seja nas tardes quentes ou chuvosas, a estação pede precaução por uma maior higiene que pode ser feita tanto com ajuda de profissionais quanto pelo próprio proprietário. Através de pequenas dicas a manutenção e tratamento de água podem ser realizadas de maneira simples, rápida e por uma única pessoa.

Na temporada de uso que segue, o ideal é que se possa ter atenção aos sinais de sujeira que a própria piscina pode mostrar. Um exemplo é o filtro solar usado por banhistas, pois este acumula gordura na superfície. A cor da água, quando turva, pode concentrar substâncias prejudiciais, além do pH que deve sempre estar normal. É indispensável então sempre cuidar para que seja uma água limpa, não oferecendo riscos à saúde, aplicando uma lona para cobrir em dias de chuva ou quando não estiver em uso.

Os cuidados para o dia a dia que podem ser feitos por quem possui a piscina são simples, e exigem apenas dedicação. varrer sempre em volta, tirar as folhas e maiores sujeiras com a peneira, verificar sempre que possível se o depósito do filtro não está obstruído, escovar as paredes e usar aspirador. Isso, ao menos uma vez por semana. A aplicação de cloro e outros produtos não são complicadas, mas se preferir, chame os especialistas no assunto para higienização completa.

Segundo Luiz Antônio que trabalho profissionalmente na limpeza e manutenção há 5 anos, toda piscina precisa de cuidados especiais e semanais, mas parte do cuidado diário do morador para que a vida útil desse objeto de lazer se prolongue. Cuidando em torno de 15 piscinas por dia e reconhecendo a importância da recreação para a família, Luiz informa ainda, a importância para não proliferação da dengue e outros insetos, inclusive do lodo que costuma aparecer durante as chuvas.

Método de controle da água

Os parâmetros usados para medir diversas fatores para uma água cristalina e saudável são vários, e por serem muitos e específicos, talvez a melhor ajuda possa a ser de uma pessoa especializada. “As pessoas podem fazer uso dos produtos nas piscinas, mas os químicos usados são muito agressivos” conta Luiz Antônio que ainda indica a cautela diariamente “A providência de estar sempre mantendo as sujeiras longe da piscina são sempre de quem a possui, isso já ajuda bastante”

Tecnicamente, a alcalinidade deve estar entre o que consideramos ideal, o pH fica entre 7,2 e 7,6 pois foram disso podem causar irritações na pele. Atenta Luiz, que ainda adverte para o cuidado com o filtro que tem horas estabelecidas para filtrar a piscina. “Por isso e outras coisas, é importante que alguém faça uso corretamente dos produtos e com as marcas certas”. Com tudo na medida certa, o cloro mata bactérias e fungos e garante diversão tranquila para os banhistas.

Ao menos uma vez por semana é o necessário para que a higiene seja garantida. “Geralmente, vamos uma vez por semana e com dois dias para concluir o trabalho. No primeiro dia aplicamos o produto, no segundo fazemos a limpeza completa e fazemos o controle da água” diz Luiz Antônio. Cerca de 90% das pessoas que possuem não sabem os aspectos de controle e manutenção, que chegam a durar cerca de 30 minutos para uma piscina de 30 minutos. “Todos deveriam acompanhar e sempre perguntar o procedimento, é importante” completa.

Período das chuvas

O ciclo das chuvas é o que costuma dar mais trabalho, pois nessa fase a proliferação de algas, os famosos lodos, são as maiores. Isso acontece porque falta produtos preventivos especificamente para as algas, a algicida. “Nessa temporada, devemos usar os produtos característicos, são peculiares os cuidados pois as algas podem trazer danos à saúde.” informa o piscineiro Antônio Luiz. “O pH também é alterado, ou seja, mais cuidado, mais tratamento. Aí devemos partir para um tratamento de choque e depois colocar os produtos químicos necessários”

Algas causam danos pois na verdade propiciam a prosperidade para bactérias procriarem, a partir disso podem causar doenças na pele e infecções graves. Fatores de chuva e vento levam para dentro da piscina os micro-organismos. Algas verdes são fáceis de eliminar com escovação, porém pode se espalhar rapidamente. Algas amarelas também de fácil propagação, não costumam sair tão fácil com escovação. Em ambos os casos, apesar da limpeza que pode e deve ser feita, não dispense os produtos químicos para total remoção.

Ainda existem as algas rosas, que são fungos de substância espumosa sob a água que consegue ser facilmente removida e eliminada. A mais temida é a alga preta. Praticamente se funda pela piscina e tem remoção bastante difícil. Com crescimento gradual, que permeia toda piscina em pequenos círculos com pontos escuros, ela pode retornar várias vezes e cobrir de vez toda piscina.

Então o tom esverdeado já é sinal de preocupação. “Os índices de pH, cloro e alcalinidade estarão fora do que é recomendado, com toda certeza” informa Luiz Antônio. Por usar mais produtos e formar uma verdadeira bagunça em todos os quesitos que deveriam estar em ordem, a limpeza deve ser feita com mais rigor, assim, evitaria além da compra dos produtos para eliminar as algas, recompor todos os quesitos já citados em pleno período de férias.

Por se tratar de baixas temperaturas na época das chuvas, onde as algas se reproduzem menos, este não pode ser o motivo de a piscina ser deixada de lado. “É justamente o que irrita quem possui piscina, parar com o uso no ciclo de chuvas e ser surpreendido com a sujeira que as algas provocam. Acham que por não utilizarem, não devem fazer a manutenção. Mas como se trata de saúde e recreação, requer preocupação” explica.

Fonte: Jornal da Comunidade