Conta pool ou vinculada?

Conhecimento e seriedade são pré-requisitos para gestão responsável dos recursos do condomínio

Conta pool ou vinculada?

Diminuir os custos administrativos sem colocar em risco as finanças do condomínio é uma preocupação de síndicos de todos os tipos de empreendimentos. A gestão dos recursos financeiros geralmente ocupa uma das primeiras posições em uma lista cada vez mais complexa de atribuições. As duas formas de gestão de recursos financeiros mais comumente usadas por administradoras e síndicos são as contas pool ou as contas vinculadas. Na primeira modalidade, os recursos de diversos condomínios são depositados em uma conta única, cabendo à administradora controlar as receitas e despesas de cada unidade sob sua responsabilidade. A opção da conta vinculada, por sua vez, garante que cada condomínio tenha sua própria conta bancária e também a responsabilidade de dispor de recursos para o cumprimento de suas obrigações e pagamentos na data certa.

Para Fernando Willrich, Presidente do SECOVI de Florianópolis/ Tubarão e proprietário da Administradora Regecon, a escolha deve levar em consideração diversos fatores.“O risco para os condomínios com a conta pool está na escolha de uma empresa que tenha seriedade e uma equipe competente na gestão dos recursos”, diz. Ele explica ainda que, por outro lado, a grande vantagem é a potencial redução de custos bancários, uma vez que a administradora, como gerencia um volume muito grande de recursos, pode negociar tarifas mais atraentes. “E pode ser útil para evitar a inadimplência de condomínios que estejam passando por crises de caixa, já que a administradora pode gerir seus recursos e evitar multas por atraso de impostos”, informa Willrich.

Controle

Síndicos que não tenham conhecimentos específicos em gestão financeira e em controle de tributos, ou que não queiram ficar com essa responsabilidade, revelam outra vantagem da conta pool, já que o condomínio, uma vez contratante de prestação de serviços, assume a responsabilidade sobre o recolhimento dos impostos municipais, estaduais e federais. Quanto ao fundo de reserva, o dirigente destaca que este é um recurso interessante de se ter mais à mão, pela sua natureza emergencial. “Nessas horas, quanto mais facilidades para dispor dos recursos, melhor”, completa Willrich.

Para Lourdes Alves Silva, síndica do Condomínio Villa das Flores, na Praia Comprida, em São José, desde 2004, a escolha pela conta vinculada foi baseada em fatores muito claros. “A vantagem é que temos maior controle dos recursos disponíveis, sabemos de todo dinheiro que temos na nossa conta, sem correr risco algum. A administradora faz o controle jurídico, o balanço mensal e a emissão dos boletos, mas a gestão financeira é nossa”, declara Lourdes, que comanda um residencial com 300 unidades, 16 funcionários e mais de mil moradores. “Nosso fundo de reserva também está sob nossa responsabilidade, mas depositado em uma conta poupança separada da conta corrente”, completa Lourdes, que admite que o conhecimento adquirido em sua formação profissional como contadora facilita o dia-a-dia. Lourdes e Fernando, declaradamente, fecham questão em um ponto: a seriedade e o conhecimento são necessários para administradoras e síndicos, na gestão responsável dos recursos de um condomínio.

Fonte: CondomínioSC