Conheça os tipos de plantas aéreas para decorar a casa

Bromélias, trepadeiras, cactos e filodendros são bons exemplos de espécies usadas em ambientes internos

Plantas aéreas são aquelas cujas raízes se desenvolvem externamente ao solo e estão dispostas na natureza sobre rochas ou fixadas a árvores de maior porte. Em residências elas são muito bem-vindas: além de servirem como “decoradoras” de ambientes, reduzem a temperatura no microclima, regulam a umidade do ar e proporcionam benefícios subjetivos como conforto visual, calmaria e bem-estar aos moradores.​

Jardim vertical em área externa (Foto: Shutterstock)

O uso de espécies suspensas são indicadas para qualquer tamanho de casa ou apartamento, e instaladas no teto ou nas paredes. Para os locais pequenos servem como trunfo, por serem aproveitadas em áreas até então subutilizadas.

“A grande vantagem é que elas permitem que o piso fique desocupado para dar lugar a outros móveis ou para a circulação, por exemplo. Além de propiciarem aproximação com o meio natural também nos oferecem cheiros, cores e sensações agradáveis”, explica o paisagista Artur Craveiro.

 Jardim vertical

Bromélias, trepadeiras, cactos e filodendros são bons exemplos de espécies usadas em ambientes internos. Espécies como jibóia, orquídea-grapete, samambaia e dinheiro-em-penca também são excelentes para este tipo de uso. As orquídeas, apesar de serem terrestres, são muito bem adaptáveis ao plantio aéreo.

“Elas trazem inúmeras possibilidades por terem uma diversidade de folhagens e flores, inclusive com perfume”, opina o paisagista Edu Bianco. Das citadas, bromélias e samambaias ​são espécies mais populares e que nunca saem da moda. “São as mais usualmente encontradas e que geralmente agradam a todos. Isso se dá pela beleza e pela rusticidade destas plantas”, analisa Craveiro.

 Plantas aéreas

O xaxim, largamente utilizado como vaso para plantas aéreas, encontra-se na chamada Lista Vermelha de Plantas Ameaçadas de Extinção pelo IBAMA. Por este motivo, seu uso não é recomendado, havendo uma série de produtos em desenvolvimento para o substituirmos: desde fibras e palhas de coco, vasos e jardineiras suspensos, até materiais menos usuais que são frequentemente lançados.

Paredes verdes

As chamadas paredes vegetadas servem principalmente para quem tem espaço sobrando. Trepadeiras em grade, plantas de forração ou ornamentais cultivadas em pequenos vasos fixados juntamente à parede podem dar este efeito.

Quem tem um pouco mais de espaço, consegue fazer uma parede verde no ambiente (Foto: Shutterstock)

É interessante instalar as paredes vegetadas afastadas por um suporte à aproximadamente 10 centímetros da parede de tijolos porque este tipo de configuração pode causar umidade excessiva, e danificar a parede.

O paisagista Edu Bianco atenta para algumas medidas necessárias antes da instalação do jardim vertical “É preciso que a parede tenha sido impermeabilizada e que haja ponto de água e elétrico para que se tenha uma irrigação controlada, que é fundamental para o sucesso do jardim, a não ser que seja um jardim pequeno”, ensina.

Manutenção e cuidados

Plantas aéreas requerem cuidados específicos: umas necessitam um pouco mais de cuidado, outras menos – como é o caso das orquídeas que não toleram ser encharcadas, por exemplo, ou como as bromélias que precisam frequentemente de água em sua região central.

Já as samambaias são plantas rústicas, que carecem de poucos cuidados, apenas de rega e fertilizações periódicas. “Sempre lembrando que o excesso de água acarreta em doenças e apodrecimento da planta. Os controle de pragas pode ser feito com inseticidas domésticos que são encontrados em supermercados”, explica Bianco.

Plantas de sombra e meia sombra devem ser utilizadas internamente, ou externamente quando não receberem luz direta do sol. Já as plantas de sol pleno e também as de meia sombra podem ser utilizadas livremente nas áreas externas. “Antes de adquirir uma planta é importante conhecer suas necessidades com o fornecedor ou com especialistas para que se possa usufruir dela por mais tempo”, diz Craveiro.

Fonte: ZapImoveis