Confira dicas para não errar na pintura das paredes da casa

Se bem executada, a tarefa pode valorizar o preço de venda do imóvel, além de dar um toque a mais na decoração.

Trocar a cor de uma parede ou simplesmente dar um retoque na tinta dá aquela sensação de visual renovado ao cômodo. Se o morador da casa não puder contar com a ajuda de um profissional nessas horas, ele deve tomar alguns cuidados para alcançar um bom resultado. De acordo com a arquiteta Rosemeire Albuquerque, da franquia Praquemarido, é importante notar alguns detalhes ligados a estrutura do imóvel e estar munido de todos os materiais necessários.

Na hora de escolher o acabamento, o dono do imóvel possui as opções fosco, brilhante e acetinado. “O primeiro disfarça imperfeições, o brilhante impregna menos sujeira, enquanto o acetinado brilha menos, esconde falhas, mas tem preço menos acessível”, avalia Rosimeire.

Mãos à obra – A especialista aconselha o pintor a utilizar a caçamba de tinta para o contato com o rolo. “É uma sugestão indispensável, se mais de uma cor estiver sendo utilizada. Assim uma tinta não entra em contato direto com a outra”, afirma.

Quanto à aplicação, ela indica a ordem cantos, teto e parede. “Utilize o pincel para pintar horizontalmente rente ao teto ou abaixo da faixa de gesso, se for o caso, e também rente ao batente de portas e janelas. Depois, pinte o teto e a área restante da parede (nesta última, na posição vertical, de cima para baixo)”. Na visão da arquiteta, em média, três demãos são suficientes.