Condomínios verdes

Adoção de medidas ecologicamente corretas, como a redução de gastos de água e luz e coleta seletiva de lixo, pode baixar taxas condominial em até 20%

Práticas ecologicamente corretas adotadas em condomínios, como redução de consumo de água e luz e reciclagem do lixo, são bem-vindas e o meio ambiente agradece. Mas muito mais agradecidos ainda ficam os moradores com a redução da taxa condominial e alívio no bolso. Vice-presidente do Sindicato da Habitação, Secovi-RJ, Leonardo Schneider afirma que a adesão a soluções sustentáveis pode reduzir em até 20% as taxas do condomínio.

Para facilitar a vida de síndicos, hoje o mercado oferece algumas empresas especializadas na adoção de medidas econômicas e práticas no dia a dia. Entre essas, a Personal Service vem implantando ações ambientais na Zona Oeste do Rio com bons resultados.

A piscina ecológica não utiliza cloro para limpeza, que é feita por processos biológicos realizados pelas plantas de seu entorno, aguapés e ninfeias

Conta o gerente Daniel Coimbra que em um condomínio de três prédios administrado pela empresa, por exemplo, o consumo de água em apenas um mês caiu 50%. “E a economia foi de cerca de R$ 180 mil”, destaca Coimbra.

O segredo na redução do uso de água, afirma, está em três frentes: conscientização de moradores e funcionários, ‘lavagem inteligente’ de vidros e pisos e vistoria permanente de vazamentos internos em apartamentos.

Para este último, a empresa disponibiliza mão de obra gratuita em consertos de descargas de banheiro nas unidades. Já pisos e janelas contam com a chamada ‘limpeza verde’: “A água é substituída por um produto químico especial biodegradável e neutro, que não precisa ser enxaguado”, conta.

Quanto à luz, a troca de lâmpadas dicroicas também reduz bem os gastos. “A substituição por lâmpadas de LED traz melhor luminosidade e o consumo cai 10 vezes. Em um ano, no mesmo condomínio a economia foi de R$ 72 mil na conta de luz”, festeja Coimbra.

Outro filão no combate ao desperdício é a reciclagem de lixo. “Cada apartamento recebe um ímã de geladeira que retrata a correta separação dos resíduos. Uma vez separados, são recolhidos e vendidos à cooperativa Barracoop, cadastrada na Comlurb. A renda é integralmente repassada aos condôminos”, garante o gerente.

Leonardo Schneider lembra que experiências bem-sucedidas em condomínios obtêm redução de 50% na despesa de luz e 40%, na de água. “Instalação de sensores de presença, uso de lâmpadas de LED e de medidores individuais de água são boas medidas”, explica o vice-presidente do Secovi. Ele lembra que no dia 20 de agosto o sindicato lançará um blog, ‘Condomínios Verdes’, com todas as dicas de ações sustentáveis que podem levar à diminuição de despesas.

Usufruir de todo o conforto num oásis de preservação

Entre as iniciativas ecológicas, o condomínio de casas Vale do Tinguá, em Nova Iguaçu, é um oásis verde de preservação. Empreendimento da Eco Tinguá, lá o esgoto é tratado ecologicamente, através de biodigestor, de forma que os resíduos não agridam o meio ambiente.

Cada casa conta com boiler com aquecedor solar para esquentar a água. Os telhados verdes ajudam na redução da temperatura interna e na qualidade do ar, a piscina ecológica não utiliza cloro e pneus velhos, tratados e cultivados com flores, são usados na construção do muro. Outra novidade são os corrimãos das áreas comuns, pisos e escadas feitos a partir de embalagens PET inutilizadas e reprocessadas.

“O objetivo é construir um ambiente agradável e confortável, com ações sustentáveis e redução das despesas do condomínio”, explica Júlio Peixoto, diretor da Eco Tinguá.

Algumas medidas econômicas

- Cores claras nas paredes de áreas comuns também reduzem o consumo de energia durante o dia

- Instale medidores individuais de água

- Opte por lâmpadas de LED nas partes comuns

- Instale sensores de presença ou minuteiras em garagens e corredores

- Coleta seletiva de lixo pode ter renda da venda revertida ao condomínio

Fonte: O Dia