Cinco razões para contratar uma boa parceria de manutenção

Segurança e conforto dos usuários, economia de energia, custos menores nos reparos futuros, preservação da vida útil, atendimento à legislação e normas técnicas: aqui estão pelo menos cinco razões para que os síndicos deem prioridade à manutenção dos elevadores e busquem contratar uma boa parceria. Não há como escapar. Em São Paulo, por exemplo, a lei obriga à renovação periódica da licença de funcionamento, através da emissão eletrônica do Relatório de Inspeção Anual (RIA). É preciso cumprir com uma série de quesitos para obter a autorização.

“A qualidade da manutenção define a vida útil do elevador”, afirma Sérgio Rodrigues, engenheiro mecânico e técnico em eletrônica, consultor da área há mais de 20 anos e responsável por laudos, perícias e inspeções solicitadas ao Seciesp (Sindicato das Empresas de Conservação e Instalação de Elevadores do Estado de São Paulo). O especialista acrescenta que serviços mal feitos ao longo do tempo poderão levar a situações de tal precariedade em que “não haverá mais como pensar em corrigi-las, será preciso trocar tudo por um elevador novo”.

Por isso, no quesito manutenção, o principal cuidado do síndico deve recair sobre a escolha da empresa que trabalhará a prevenção e correção de quebras durante a vigência do contrato. “O síndico não consegue avaliar a qualidade da manutenção, observá-la nos detalhes”, justifica. É importante, assim, definir-se por um prestador de serviços cujo supervisor monitore a atuação do técnico responsável pelas máquinas do prédio. “É uma forma de minimizar as falhas”, diz. Sérgio explica ainda que uma vistoria independente anual poderá dar mais segurança ao condomínio em relação à manutenção em andamento.

Fonte: direcionalcondominios.com.br