Chave na portaria. É seguro?

Em um condomínio pode ser habitual para alguns moradores deixar a chave do apartamento com porteiros ou zeladores, principalmente após algum tempo de convivência. Entretanto, os especialistas em segurança não apoiam a prática.

Segundo o Manual de Segurança Condominial do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), em hipótese alguma o morador deve confiar as chaves de seu apartamento à portaria ou a funcionário do prédio, mesmo durante uma viagem.

“Deixe algum vizinho de confiança avisado de sua ausência, pois ele poderá observar alguma irregularidade em sua residência”, orienta Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP.

Gebara também orienta que o morador deixe a chave com um parente, de preferência que não more no prédio.

“Caso haja alguma emergência, a única coisa que o condomínio precisa ter é o telefone desse parente para que um funcionário o notifique em uma eventualidade.”

Questão de segurança – Assim como Gebara, o diretor operacional da Haganá Segurança, Samuel Pereira, também enfatiza que a orientação passada aos condôminos é sempre a de não deixar as chaves na portaria. “Deixar as chaves na portaria é mais do que uma questão de segurança, é uma questão administrativa”.

Pereira explica que muitos condôminos não encaram como um fator negativo para a segurança deixar as chaves na portaria, pois confiam nos funcionários, mas a ação demanda a atenção redobrada por parte deles, o que pode atrapalhar.

“Em condomínios clube, por exemplo, o funcionário da portaria pode ter que gerenciar o controle das chaves das áreas comuns. Gerenciar as chaves das unidades é um procedimento que está além de suas funções”, completa Pereira.

Para terceiros – Moradores que contam com os serviços de diaristas também devem prestar atenção à questão das chaves no caso da entrada do prestador de serviço.

Para Pereira, ao contratar um funcionário para trabalhar em seu lar, o condômino precisar levantar um histórico dos antecedentes desse prestador.

“Para contratar os serviços de um diarista o morador deve confiar naquele profissional. Nesse caso, uma cópia da chave da unidade deve estar com o profissional e a portaria deve ser avisada dos dias e horários nos quais aquele profissional está autorizado a entrar.”

É importante avisar se esse profissional realiza os trabalhos sozinhos ou se possui um ajudante, que também deve ser cadastrado previamente.

Condomínio seguro

- Em viagens longas, o morador pode verificar se os gestores prediais ou responsáveis pelo condomínio na administradora podem ficar com uma cópia das chaves do apartamento. Ainda assim, toda a responsabilidade deve ser assumida pelo condômino proprietário

- Mesmo para usar áreas comuns, as chaves da unidade devem sempre ser mantidas em poder do morador. A dica de segurança para esses momentos é amarrar as chaves no pulso com um barbante ou guardá-las nos bolsos

- A melhor opção para casos de emergência é deixar a chave e um telefone de contato com um parente ou amigo, de preferência que não more no local

Fonte: iCondominial