Biblioteca comunitária

Condomínios podem destinar um espaço para estimular o hábito da leitura entre os moradores. Saiba como

Cada vez mais modernos e equipados, os condomínios entregues nos últimos anos já possuem espaços destinados a agradar todos os gostos. De academia a zen places, mesmo empreendimentos mais simples já apontam em seus projetos para a criação de áreas comuns de incentivo ao convívio. Mas será que isso vale para espaços de leitura?

No caso do condomínio Boulevard Nair Vieira, localizado próximo à cidade de Florianópolis (SC), sim. Os moradores foram, inclusive, além das opções tradicionais e criaram uma biblioteca comunitária. Originalmente idealizado pelo síndico e sua esposa, não demorou muito para que o projeto ganhasse o apoio dos moradores e se tornasse realidade.

Valorizando a cultura – Segundo informações da Associação de Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), a criação de uma nova área comum precisa ser deliberada em assembleia e ter a aprovação total do quórum. Uma vez que isto aconteça, basta apenas que os moradores coloquem a mão na massa para que o projeto se torne algo real.

Criação e conservação do cervo – O primeiro passo para um condomínio montar uma biblioteca comunitária é ter um espaço que possa acomodar livros e revistas. Eles podem ficar em estantes ou armários ou, ainda, organizados sobre algumas mesas.

A partir daí a próxima tarefa é solicitar aos moradores doações de publicações. Para isso, basta o síndico tratar do assunto em assembleia ou fixar cartazes e panfletos em locais de maior circulação, como os elevadores. Outra dica é arrecadar fundos para a aquisição de alguns títulos.

Para o diretor de condomínios Antonio Jorge Neto, para criação de um espaço comum como este, é de extrema importância que já seja apresentado o projeto com as respectivas regras de uso. “Definir regras desde o princípio evita transtornos e já deixa todos cientes antes da aprovação”, expõe.

Leitura organizada

  • Para que os livros não se percam, vale a pena organizar uma forma de anotar a data de empréstimo e devolução, assim como o nome e apartamento de quem pegou emprestado
  • Podem ser feitas campanhas de arrecadação de livros e também ser montada uma lista de sugestões, na qual moradores podem sugerir títulos a serem adquiridos
  • Rodas de leitura podem ser interessantes especialmente em condomínios com crianças e em épocas de férias. Podem ser estipulados horários para a leitura de obras pelos próprios moradores que tiverem interesse em participar

Fonte: iCondominial