Autogestão de condomínio não pode ser aventura, diz especialista

Condomínios que optam por fazer sua própria gestão em vez de contar com administradoras devem ter alguns cuidados. Para que a autogestão dê certo, é necessário profissionalização e uma participação maior dos moradores. A questão da profissionalização é especialmente importante nos condomínios em que o síndico dedica tempo integral à atividade.

Para a contadora e administradora Cristina Muccio, a opção pela autogestão é interessante, principalmente para os grandes empreendimentos, mas a questão não pode ser tratada como uma aventura. “É fundamental criar uma estrutura interna, pois os prejuízos podem ser grandes”, alertou a especialista, em entrevista ao site Direcional Condomínios.

Ainda segundo Muccio, a autogestão apresenta vantagens e desvantagens. Ela diz que é preciso atentar sempre à prestação de contas. “Os itens da convenção coletiva têm de ser cumpridos, pois há o risco de se perder prazos junto ao Fisco e negligenciar a legislação trabalhista”, observa. Por outro lado, ela reconhece que o modelo pode reduzir custos e facilitar o controle de dados do condomínio.

Fonte: Condoworks e Direcional Condomínios