Alternativas para economizar energia elétrica

Tecnologias ofertadas no mercado oferecem soluções para economia

Alternativas para economizar energia elétrica

Economizar energia elétrica é uma atitude inteligente que traz somente benefícios para os condomínios, diminui os gastos e contribui para garantir recursos naturais para as futuras gerações. A necessidade de consumir sustentavelmente,fez o mercado apresentar diversas tecnologias para economizar esse bem, como as lâmpadas florescentes, sensores de presença e captadores de energia solar. Mas não basta modernizar o edifício com as novidades ambientais, também é preciso conscientizar os moradores e funcionários sobre o correto uso dos equipamentos comuns.

A alternativa mais barata de se adaptar para economizar a energia elétrica é trocar as lâmpadas incandescentes por florescentes. Uma convencional de 60 W equivale a uma de 20 W mais econômica, o que gera 64% a menos de consumo. Também pode-se refazer os circuitos dos interruptores para permitir o desligamento parcial.

Nos corredores, o ideal é colocar temporizadores ou sensores de presença, neste caso não é aconselhável instalar a florescente, pois o regime intenso de acendimento diminui drasticamente sua vida útil. Nas garagens, o interessante é iluminar apenas as áreas de circulação dos veículos, e não os boxes. As luminárias entre as vigas do teto da garagem devem ser rebaixadas para clarear mais. É importante salientar que uma lâmpada de potência maior consome menos do que várias de potência menor.

De acordo com o chefe do Departamento de Engenharia Comercial da Celesc Distribuição, Luiz Antônio Garbelotto, os refletores das áreas externas do condomínio é a iluminação que mais consome energia. Ele observa que o ideal é utilizar as lâmpadas de vapor de sódio, que produz um fluxo luminoso duas vezes maior do que a de mercúrio.

A limpeza também contribui para diminuir a necessidade de energia, pois com paredes, janelas e pisos limpos a luz reflete melhor, assim como as luminárias e lâmpadas. Durante o dia, o ideal é deixar janelas e persianas abertas para usar a luz natural.

As bombas da água são responsáveis por boa parte do consumo de energia elétrica, por isso é “importante que não sejam superdimencionadas, pois, dessa forma, gastam mais do que o necessário”, justifica Garbelotto. Além da bomba e da iluminação, outro equipamento que mais consome em condomínio é o elevador. Segundo o chefe do Departamento de Engenharia da Celesc, para economizar é preciso evitar deslocamentos desnecessários.

Quando existem dois elevadores no mesmo hall, a programação deve ser feita para que trabalhem alternadamente, um atendendo aos andares pares e o outro, aos ímpares, e quando houver pouco fluxo de passageiros, desligar um deles. Também é importante conscientizar os usuários, principalmente as crianças, de apertar a botoeira somente para onde quer ir (subir ou descer). Colocar o condomínio em dia com as tecnologias é outro fator que contribui para economizar energia elétrica, os novos elevadores consomem em média 40% menos.

Outro vilão no consumo são os chuveiros elétricos dos apartamentos, muitos já utilizam aquecedores a gás, mas o ideal, segundo Garbelotto, são os de energia solar. “O Sol é de graça e é um recurso que não se acaba”, descreve. Inclusive, o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico, instalou aquecedores solares em um condomínio no bairro Canasvieiras, no Norte da Ilha de Florianópolis, aonde ocorrem sobrecargas de abastecimento, principalmente no verão.

“Comprovamos a economia energética no consumo residencial. Se todas as edificações tivessem como coletar a energia solar, certamente diminuiria o consumo da eletricidade na região”, explica. Garbelotto ainda salienta que o aquecimento solar representa a possibilidade de manter a qualidade de vida de uma forma sustentável.

 

Fonte: CondomínioSC