Acidente de trabalho: o que fazer?

Bom mesmo é conscientizar e buscar prevenir. Mas se o pior acontecer o síndico tem também a incumbência de se socorrer

As questões que envolvem acidentes de trabalho no condomínio costumam causar preocupação, especialmente para os síndicos de primeira viagem.  Muitos ainda têm dúvidas sobre o que deve ser feito para prevenir e também evitar episódios do tipo. Outros também não sabem o que deve ser colocado em prática quando um acidente ocorre.

Segundo o diretor de condomínios Antonio Neto, não é possível garantir integralmente que um funcionário jamais sofrerá algum acidente durante o trabalho, entretanto, é possível tomar todas as medidas possíveis para prevenir e se precaver.

“A primeira delas é fazer um seguro de vida, já que, no caso de acidente grave com sequelas, o condomínio não precisará arcar com altos gastos de despesas médicas com o funcionário de uma única vez. Ao mesmo tempo, é uma forma de o síndico cumprir com sua responsabilidade no período pós-acidente.”

Também faz parte dos procedimentos de prevenção verificar todos os laudos e agendar vistorias de segurança. Caso o condomínio note a ausência de algum, fica sob a responsabilidade do síndico contratar um profissional para realizar os procedimentos necessários.

“Para condomínios existem quatro laudos que são indispensáveis: o PPRA (Programa de Proteção de Riscos Ambientais), o PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), o laudo de para-raios e o de treinamento de brigada de incêndio. Todos podem ser obtidos atrás da vistoria de um engenheiro de segurança do trabalho”, explica Sérgio Ancona Lopez, diretor técnico da Alec Engenharia.  Segundo Lopez, o laudo do PPRA e do PCMSO tem validade de um ano, devendo ser solicitada uma nova vistoria sempre que se aproximar o prazo de vencimento.

Conscientizar é preciso – Além das medidas legais de prevenção, programas de conscientização devem ser desenvolvidos entre os funcionários. “O síndico deve realizar reuniões periódicas para falar sobre todos os procedimentos errados durante o trabalho e que podem ocasionar acidente”, complementa Neto.

O diretor de condomínio afirma que o maior problema relacionado à conscientização é conseguir passar aos funcionários a importância do uso dos equipamentos de segurança, como botas antiderrapantes e luvas de proteção.

“Muitos funcionários não usam os equipamentos de segurança. Mesmo assim é importante que o síndico distribua os kits e peça para que eles assinem que os receberam e estão cientes da importância do uso”.  Esse comprovante deve ser guardado com o síndico para eventuais necessidades futuras.

Nas emergências – E se acontecer um acidente? O que fazer? Segundo Neto, em caso de acidente o procedimento padrão é sempre acionar o atendimento médico de emergências.

Ele explica que, em casos de ações judiciais relacionadas ao acidente, é sempre o condomínio que é citado, não o síndico.

“O síndico é um representante do condomínio, assim como o diretor em uma empresa. Caso o funcionário venha a entrar com uma ação judicial trabalhista devido ao acidente e vença a causa, é o condomínio que arca com o processo.”

Segurança em primeiro lugar:

- A importância do uso de equipamentos de segurança adequados ao trabalho é tanta que, desde 2012, o corpo de bombeiros realiza palestras sobre o tema. Informe-se e veja como pedir a realização da palestra no seu condomínio pelo site oficial do Corpo de bombeiros

- Refaça anualmente os laudos de segurança com uma empresa devidamente cadastrada e apta para o procedimento

- A prevenção é uma das principais responsabilidades do síndico.  Busque alternativas de tornar o condomínio um ambiente mais seguro para os funcionários e moradores

- O seguro de vida é uma forma de dar suporte ao funcionário e também poupar altos gastos de uma única vez.  Coloque o assunto em pauta nas próximas assembleias e compartilhe com os moradores sobre essa importância

Fonte: iCondominial