Achismos na portaria

Porteiros devem conhecer bem procedimentos de segurança

* por José Elias de Godoy

No mês de agosto, foi preso um bandido que aliciava um garoto oriental de 13 anos que era usado como isca para entrar nos prédios e cometer furtos. A matéria saiu com a seguinte notícia: Preso suspeito de usar menino de 13 anos para invadir condomínios em São Paulo:

 A polícia prendeu um suspeito de assaltar condomínios na capital paulista, informou o SPTV nesta sexta-feira (21). As investigações apontam que ele usava um menino de 13 anos para entrar em prédios e furtar apartamentos, principalmente de orientais… O menino foi apreendido no fim de julho. Em imagens registradas do dia 28 de maio, o menino aparece em um prédio no Tatuapé, na Zona Leste, acompanhado de um adolescente de 17 anos. O garoto fingiu que era parente de um dos moradores para conseguir entrar. A dupla furtou um apartamento e levou R$ 3 mil em dinheiro e o mesmo valor em joias. Fonte: http://g1.globo.com/, de 24/08/15.

Esta ocorrência não é a única que vem acontecendo ultimamente, mas um infeliz exemplo em que espelha a realidade sobre proteção em edifícios.

No caso citado, especificamente, podemos tirar uma lição básica sobre o despreparo e ingenuidade por parte dos empregados do condomínio. Eles julgaram que, os indivíduos por serem menores de idade, se passando por parentes de orientais, deixaram os adolescentes entrarem no prédio e com isso cometeram o furto no local.

Visto isto, concluímos que os funcionários dos condomínios devem ser orientados para não se impressionarem ou se acomodarem com as aparências, idade e jeito das pessoas. Ou ainda aquelas que demonstrem estar bem trajadas ou mesmo que falem “bonito”. Devem, porém, efetuar um rigoroso controle de acesso com todos.

Através disto, constatamos, mais uma vez, a ingenuidade e falta de preparo técnico do colaborador que não confirma a identidade das pessoas que querem entrar no condomínio, a veracidade das informações e se esses indivíduos são realmente moradores do local.

Cabe lembrar que somente se libera a entrada de qualquer estranho ao prédio quando houver autorização expressa do morador e não, simplesmente, se guiar pela aparência semelhante das pessoas ou mesmo o achar que conhece as pessoas.

Concluímos, então, que não podemos esquecer de manter o cadastro atualizado de todos moradores, bem como de seus familiares e empregados. Assim, facilita-se o trabalho da portaria e aumenta-se a segurança do condomínio.

Além disso, os prédios devem possuir sistemas de controle de acesso informatizados e, de preferência, com fotos de todas pessoas residentes, colaboradores e as que entram no condomínio.

Para tanto há a necessidade de que os empregados sejam treinados e preparados a exercerem sua função, principalmente aquelas que dizem respeito á Segurança do prédio a fim de evitar que sejam enganados pela aparência de sujeitos que se passam por condôminos, seus parentes, visitas ou mesmo colaboradores, visando o bem-estar e proteção de todos.

Fonte: SindicoNet