A cozinha sai da sombra

Com projeto, materiais e equipamentos adequados, o ambiente se torna um importante espaço social

O espaço mais familiar da casa ganhou nova cara e funções que vão além de servir de espaço de preparo dos alimentos. Cozinhar não é mais uma atividade solitária ou restrita a empregados, e os projetos refletem essa mudança – antes meio escondida, a cozinha ganha status de cômodo social. O ambiente é mais aberto e visível, muitas vezes integrado a outros cômodos. Afinal, é na cozinha que os moradores recebem amigos enquanto a refeição vai sendo preparada. cozinha 1

O upgrade não se restringe à planta arquitetônica. A cozinha moderna precisa ter materiais e equipamentos adequados, além de mobiliário planejado, favorecendo a estética e a circulação das pessoas pelo espaço.

Materiais

Ao contrário do que se imagina, modernidade e tecnologia não ficam só nos eletrodomésticos. Há revestimentos, tintas e materiais desenvolvidos especificamente para uso nesse ambiente. Os fabricantes vêm investindo em pesquisas e lançam, continuamente, produtos com qualidades agregadas. Cores, estampas e padrões também são variados, permitindo composições decorativas em diferentes estilos. Vale a pena optar por produtos resistentes às variações de temperatura e umidade típicas da cozinha.

“Um dos pontos a ser considerado é a escolha de pisos e revestimentos. Porcelanatos de grandes medidas têm fácil manutenção e uma enorme gama de cores e modelos para escolher. Pastilhas de vidro também têm boa aceitação e ótimo apelo estético. Até mesmo os papéis de parede podem ser usados, desde que aplicados nas paredes secas”, apontam as arquitetas Clarice e Simone Volpi, que trabalham juntas.

O arquiteto Marcelo Lopes comenta que, diante da grande variedade de acabamentos e revestimentos disponíveis, a preocupação com a escolha dos produtos deve levar em conta a manutenção e a higiene. “Além da estética, devemos pensar na limpeza. Alguns materiais devem ser evitados, como os tecidos”, opina. O arquiteto dá a dica de não utilizar superfícies nas quais a remoção da gordura é difícil.

Triangulação

Um detalhe importante para o bom funcionamento da cozinha é a organização dos elementos. “O ideal é fazer uma triangulação entre cuba, geladeira e fogão”, explica Simone Volpi. Esse desenho distribui as três peças formando um triângulo imaginário, que concentra a área de trabalho racionalmente, sem atrapalhar a circulação de pessoas.

Ferramentas tecnológicas também dão uma “mãozinha” na configuração do ambiente. O organizador online de cozinhas da empresa Blum é um exemplo. O aplicativo traz sugestões de organização e divisão adequadas às características do imóvel, incluindo dicas de acessibilidade e planejamento.

Área de serviço deve seguir padrão do projeto

Nos imóveis novos a tendência é compactar, por isso é comum que cozinha e área de serviço compartilhem o mesmo espaço. A união entre o ambiente da comida e o da limpeza pede soluções práticas.

“Ao projetar esses espaços, tentamos fazer a divisão de maneira harmônica, que permita a passagem de luz para a cozinha, pois normalmente a janela fica na lavanderia desses imóveis”, diz a arquiteta Clarice Volpi.

Marcelo Lopes lembra que a função dos dois ambientes é distinta, por isso o projeto arquitetônico deve manter uma unidade estética entre eles. “Sem perder a funcionalidade”, ressalta o arquiteto. Ele observa que utilizar armários iguais para os dois espaços pode ser uma opção.

Para evitar que a limpeza das roupas seja prejudicada por odores ou gordura provenientes das atividades da cozinha, o ideal é fazer um anteparo com uma porta. Há equipamentos que ajudam a diminuir o impacto nas roupas, como as coifas, mas podem não ser suficientes. A separação entre os cômodos deve ser a primeira opção, diz a arquiteta Clarice Volpi.

“Pode ser porta de abrir, correr ou do tipo camarão, dependendo da possibilidade no espaço. Procuramos colocar alguma seção em vidro para a luz natural entrar, pois geralmente não há janelas nas cozinhas de apartamentos compactos”, complementa Simone Volpi.

Para as cozinhas gourmet, integradas com a sala de estar ou de jantar, é interessante optar por móveis que “conversem” entre eles, mas que não sejam peças iguais. “Podemos obter esse resultado trabalhando com a mesma madeira, com cores ou elementos que façam a ligação entre os ambientes”, afirma Simone.

Dicas

Seis passos para otimizar e organizar sua cozinha

Uma cozinha confortável e bonita deve aliar funcionalidade e organização. As sugestões da Blum, fabricante austríaca de ferragens, se baseiam em um sistema de divisórias internas criado pela empresa. São peças ajustáveis que otimizam o armazenamento, aproveitando todo o espaço disponível nas gavetas com suporte seguro aos utensílios domésticos de todos os tamanhos. Confira as dicas:

• Guarde os itens de consumo de forma centralizada e acomode-os para poder alcançá-los rapidamente. Esses detalhes encurtam os trajetos e facilitam os acessos.

• Acomode louças, talheres e copos próximos uns aos outros, facilitando a arrumação da mesa para as refeições.

• Higiene é fundamental na hora de lavar, limpar e descartar. Na extensão embaixo da pia, os produtos para essa finalidade devem estar estocados de forma limpa e acessível.

• O local ideal para a bancada de trabalho é entre a pia e o fogão, com fácil acesso à água, ao local de cozinhar e à lixeira.

• Acomode frigideiras, panelas e os apetrechos para cozinhar o mais perto possível do fogão.

• Quem usa bastante o forno deve ter um espaço para os ingredientes e aparelhos próprios: fica mais prático se tudo o que se utiliza para assar estiver acessível e estocado junto.

Fonte: Gazeta do Povo